05/07/2017 às 05h13min - Atualizada em 05/07/2017 às 05h13min

Grupos e escolas realizam espetáculo para ajudar em tratamento de jovem

'Arte Sem Barreiras' terá lucro revertido para a campanha 'Passos de Dyego'

ADREANA OLIVEIRA | EDITORA
Dyego Borges apresentará quatro coreografias hoje na programação do espetáculo “Arte Sem Barreira”, no Municipal / Foto: Alê Monteiro/Divulgação

 

Como todo adolescente de 14 anos, Dyego Borges é um menino alegre, gosta de games, natação e nutre uma paixão especial pela dança. Porém, diferente da maioria dos meninos de sua idade, ele não anda. Isso impede que ele exerça suas paixões e, ao lado dos pais e amigos, trabalhe para conseguir reverter esse quadro. 

O garoto, fã de Michael Jackson, dançará hoje, no Teatro Municipal,  com bailarinos de várias escolas de Uberlândia no espetáculo “Arte Sem Barreiras”. O valor adquirido com a venda de ingressos será revertido para a campanha “Passos de Dyego”.

A mãe de Dyego, Cassilda Borges da Silva, conta que ele recebeu o diagnóstico de paralisia cerebral aos seis meses de idade. Trata-se de uma triparesia que imobiliza os membros inferiores. Incansável, ela, o pai de Dyego e os amigos começaram a procurar alternativas de tratamento mesmo contra uma maré de preconceitos e descrença.

“Desde 2015 ele tem manifestado mais desejo de andar. Quer jogar futebol, ir ao clube, ao cinema sozinho e continuar dançando. Também diz que se andar poderá nos ajudar mais”, conta dona Cassilda.

Neste ano surgiu uma luz. A família recebeu a notícia de que há um tratamento intensivo de 14 dias com células tronco no Hospital Unique Access Medial, na Tailândia, que intercala a aplicação de células com atendimentos específicos não disponívelisno Brasil. E para viajar eles precisam R$ 139.885,41 para despesas com aéreo de Dyego e seu acompanhante, ida e volta, translado no local, hospitalização, exames e procedimentos, alimentação e despesas eventuais.

“Estamos com uma campanha de financiamento coletivo no Kickante e na noite de hoje 98% dos artistas não cobraram cachê. Todos estão ajudando a angariar fundos para o tratamento e cada um que comprar um ingresso, além de assistir algo preparado com carinho, ajuda o Dyego a realizar o seu sonho de caminhar sozinho”, diz Cassilda.

Já faz cinco anos que Dyego dança. Segundo a mãe, no início, ele só queria dançar músicas do saudoso Michael Jackson, depois partiu para a dança contemporânea nos projetos da escola em que estuda, o Complexo Ameduca. Nesta noite, Dyego dançará quatro coreografias e claro, uma delas ao som de MJ. 

Participam do espetáculo cerca de 180 bailarinos dos grupos e escolas: Refração, Passo de Art, Alex Academia, Free Move, Leandro Theodoro, Zamba Gitana, Kelly Alek, TRANSFORMarte, Amaduca e Conexão. A direção geral é de Cláudia Nunes, direção artística de Dickson Du Arte e haverá participação da pianista Gisela Gasques.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »