03/07/2017 às 16h18min - Atualizada em 03/07/2017 às 16h18min

Moradores reclamam de falta de asfalto

Quem vive no bairro Morada dos Pássaros convive com a poeira, que aumenta nesta época do ano

LETÍCIA PETRUCCELLI | APRIMORAMENTO PROFISSIONAL
Ruas sem asfalto são problema antigo na localidade / Foto: Carmen Araújo/Divulgação

 

Moradores do bairro Morada dos Pássaros, na zona leste de Uberlândia, convivem com os problemas causados pela falta de asfalto no bairro. Nesta época do ano em que a poeira e os ventos são mais fortes, o excesso de terra impede que as residências se mantenham limpas e gera problemas de saúde. Já no verão, com período chuvoso, a lama é que atrapalha.

A moradora Anita Silva reside no bairro há cinco anose afirma que a situação está insuportável. “Minha filha tem sinusite, a poeira que entra aqui piora muito a saúde dela. A casa não fica limpa. Quando passa carro por aqui a gente come poeira quase que literalmente”, conta. Para tentar aliviar a poeira, Anita aproveita a água da máquina de lavar roupas e joga na rua. “Não dá para desperdiçar água todos os dias, mas sempre que lavo roupas eu jogo na rua, para amenizar a situação apenas naquele momento. Se não fazer isso, nem adianta limpar a casa”, relata.

A auxiliar administrativa Carmen Lúcia diz que nem as roupas permanecem limpas. “A gente lava roupa e quando vai ver no varal está toda suja”. Carmem diz que vai trabalhar de moto e tem medo de acontecer algum acidente. “É perigoso passar por essas ruas, a terra é escorregadia, tem que andar devagar. Além disso, a roupa do corpo fica cheia de poeira, o sapato enche de terra.”

O motorista Cícero Donizete conta que a situação sempre foi ruim, mas agravou após a prefeitura ter tampado alguns buracos com terra. “Aqui estava cheio de buracos, isso fazia com que os carros passassem devagar, pelo menos. Mas a prefeitura veio, jogou terra nos buracos e passou uma patrola por cima. Agora, a terra está solta e os carros passam em alta velocidade, jogando poeira para todos os lados”, afirma.

Outra situação que incomoda os moradores do bairro é a forma como o ônibus do transporte público atende a localidade. Segundo eles, o coletivo não entra no bairro, passa apenas na única rua asfaltada. Com isso, moradores que dependem do ônibus precisam andar bastante para chegar até o ponto.

Anita Silva vai trabalhar todos os dias de ônibus e conta que tem que andar mais de um quilômetro para chegar ao ponto. “É perigoso ir até o ponto, pois saio de casa às 6h, está escuro e é longe. Como ando bastante na terra solta, meu sapato fica todo sujo. Então eu tenho que levar outro e trocar quando chegar ao serviço. Ainda tem moradores que moram mais longe do que eu”, afirma Anita.

A indignação da morada é maior, pois segundo ela, o ônibus entra em estrada de chão em outro bairro. “O ônibus vai até uma empresa para pegar funcionários aqui perto. Lá também é estrada de chão. Se ele entra na estrada de chão de outro bairro, porque não pode entrar aqui?”, questiona.

Os moradores do bairro alegam já ter solicitado asfalto para a prefeitura várias vezes na última década. “Desde que eu moro aqui, há 10 anos, a gente já protocolou várias solicitações para colocarem asfalto. Na gestão anterior foi prometido o asfalto, mas não colocaram.Já fomos atrás disso na atual gestão, mas não tivemos nenhuma resposta”, afirma Carmen Lúcia Araújo.

Em nota, a prefeitura de Uberlândia informou que “tem trabalhado para atender as necessidades da comunidade, dando prioridade aos serviços essenciais. Novos projetos e ações serão desenvolvidos pelo Executivo mediante a regularização orçamentária do município”.

 

Uma das moradoras enviou ao Diário do Comércio um vídeo que representa a situação do bairro:


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »