29/06/2017 às 05h20min - Atualizada em 29/06/2017 às 05h20min

Uma vida dedicada à arte e à escrita

Rita Peripato é homenageada em Sarau e fala da importância das artes na formação do ser humano

ADREANA OLIVEIRA | EDITORA
Rita Peripato durante participação em uma das edições do Sarau Gotas Poéticas / Foto: Assis Editora/Divulgação

 

Rita Peripato dedica sua vida à arte. Desde pequena, a menina de origem humilde já se aventurava com linhas, agulhas, manufatura de tapetes e até para fazer seus próprios brinquedos. Natural de Americana (SP), radicada em Uberlândia desde 1999, a artista plástica, também poetisa, é a homenagem da edição 73 do Sarau Gotas Poéticas, com a temática “Nas cores da poesia”, que acontece hoje à noite na Assis Editora.

“Fico honrada em receber essa homenagem como reconhecimento de minha atuação como poetisa. Sou frequentadora assídua do Sarau e o considero uma ótima oportunidade para conhecer novos poetas e reforçar amizades”, afirma Rita.

A poetisa integra, junto a outros 11 autores brasileiros, a coletânea “Por trás das folhagens”, lançada em junho pela Assis Editora dentro da Exposição Literária de Liechtenstein, na capital do principado, Vaduz. A obra bilíngue (Português-Inglês) traz textos referentes a sustentabilidade e Cerrado. Rita colabora com “Descasos”. Outros sete representantes de Uberlândia, um de Brasília (DF), dois de Canoas (RS) e um de Belém (PA) completam a obra. “Participar de um projeto como este é uma realização para qualquer escritor”, disse Rita.

Graduada em Artes Plásticas pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Rita Peripato acredita na arte como ferramenta transformadora, algo que pode mudar, para melhor, a vida de muitas pessoas. “Faço vários projetos nas periferias da cidade e percebo o quanto as pessoas são receptivas a esse aprendizado, seja da arte ou do artesanato”, comenta. 

Rita cita dois exemplos que a marcaram. Em uma de suas oficinas recebeu uma mãe que precisava encontrar uma maneira para sustentar os filhos, mas nunca havia pego em uma agulha. “Ela foi o destaque da oficina com belos trabalhos e a partir daí conseguiu uma fonte de renda”, conta. O outro é de uma criança que, por meio dos trabalhos artesanais que aprendeu a fazer começou a ajudar os pais em casa. “Um dia essa criança comentou que os pais estavam sem dinheiro para a passagem de ônibus e ela emprestou e ficou tão feliz com este gesto”, recorda a artista.

Os projetos de Rita contemplam pessoas de 6 a 70 anos. “A arte não deve ser restringida e percebo que ainda é pouco explorada pela maior parte da população, infelizmente, mas a gente trabalha para reverter esse quadro”, afirma.

Além da homenagem a Rita Peripato, o 73º Gotas Poéticas contará ainda com a presença dos poetas Alciane Tavares, Aline Venâncio, Christyene Faleiros, Eudes Marques, Henrique Lomônaco, Lucilaine de Fátima, Mariana Morais, Nágile Domingos, Raquel Ordones e Rossana Spacek. À distância participa o poeta José Fernandes, de Goiás. 

 

SUSTENTABILIDADE

Há alguns anos Rita Peripato começou a trabalhar com pneus velhos. Por meio de sua arte, transformou o que iria para o lixo em bancos, mesas e outros artefatos para decoração. No próximo mês ela vai expor algumas dessas peças na Prime Customs, em Uberlândia. “Tenho muito orgulho deste trabalho que agora faço por encomenda. Recebi o convite da loja para a exposição e aceitei. É mais uma forma de mostrar que o reaproveitamento de pneus é viável e possível”, explica.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »