21/06/2017 às 05h34min - Atualizada em 21/06/2017 às 05h34min

Volta do basquete fica mais distante

Possibilidade de Uberlândia ter uma equipe profissional ainda esbarra na falta de investimento

EDER SOARES | REPÓRTER
Equipe sub-20 treina no Sabiazinho, mas não sabe se terá condições de disputar Liga / Foto: Eder Soares

 

Os amantes do basquete em Uberlândia poderão ter que esperar mais um tempo para ver uma equipe local disputando partidas pelas quadras Brasil à fora. Os dois projetos que visavam a montagem de equipes para disputar partidas oficiais podem não vingar por falta de investimento.

Uma das tratativas era o retorno do time profissional que foi campeão brasileiro e sul-americano, e que teve as atividades encerradas em 2015, pelo diretor-presidente da Unitri, Wellington Salgado, que levou o time para Salvador (BA). No entanto, até o momento, não há a confirmação de nenhum apoio empresarial para o retorno da equipe a Uberlândia.

Situação semelhante enfrenta uma equipe de base. O técnico Cristiano Grama, ex-treinador do Minas Tênis Clube, desenvolve um trabalho com um time sub-20, o Uberlândia Basquete, que faz seus treinamentos na Arena Sabiazinho. A meta é disputar a Liga de Desenvolvimento de Basquete (LDB), em meados de agosto, e no ano que vem, a Liga Ouro, que é a divisão de acesso para o Novo Basquete Brasil (NBB), elite do basquete nacional.

Porém, apesar dos esforços da equipe de marketing do Uberlândia Basquete, a falta de interesse dos empresários em abraçar o projeto também está minando as esperanças dos torcedores. Segundo Cristiano Grama, a situação está ficando cada vez mais difícil.

“Ainda não conseguimos nenhuma parceria para investir na equipe. Mandamos projetos para algumas empresas e tivemos retornos negativos, o que dificulta para a gente manter os jogadores de nível aqui. Agora, com o fim do NBB, abre-se o mercado para o sub-20 e corremos o risco de perder jogadores importantes”, disse Grama.

O Uberlândia Basquete treina há mais de dois meses. A equipe entrou em contato com a Liga Nacional de Basquete (LNB) demonstrando o interesse em disputar a Liga de Desenvolvimento. Como critério de participação, a diretoria de competições da entidade começa procurando os times que disputam o NBB, depois os que estão na Liga Ouro, e posteriormente os demais interessados que manifestaram o interesse em entrar no campeonato, como o caso do time de Uberlândia.

“Os nossos atletas estão treinando, estão ativos, mas não estão recebendo nada para treinar, o que provavelmente acontecerá se forem para outros times. Continuamos correndo contra o tempo e eu não posso segurar estes jogadores aqui. Temos grandes chances de conseguir um convite para a LDB, mas sem o patrocínio dificulta tudo”, afirmou.

 

LIGA OURO

Cristiano Grama espera que os empresários locais se sensibilizem para a volta do basquete profissional na cidade. A Liga Ouro (Divisão de Acesso) exige investimento para o pagamento de salários e despesas extras, o que atualmente o Uberlândia Basquete não consegue bancar sem a contrapartida de investidores.

“Vai depender muito de patrocínio, pois se o time não consegue investimento para a Liga de Desenvolvimento, para a Liga Ouro fica impossível viabilizar uma participação, pois é uma competição que exige recursos bem mais altos para a contratação de atletas adultos”, disse Grama.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »