18/06/2017 às 06h25min - Atualizada em 18/06/2017 às 06h25min

O primeiro Parque Nacional do Brasil

Situado na Serra da Mantiqueira, Itatiaia conta com muitos pontos de elevação, cachoeiras e trilhas

DA REDAÇÃO
Foto: Site ICMBIO/Divulgação

 

O primeiro Parque Nacional do Brasil é o Itatiaia, criado em junho de 1937. Situado na Serra da Mantiqueira, o Parque Nacional do Itatiaia é endereço certo para quem busca recreação e turismo ecológico sem deixar também de se preocupar com a proteção da diversidade ambiental e nascentes. Abrange os municípios de Itatiaia e Resende no Estado do Rio de Janeiro e Bocaina de Minas e Itamonte no Estado de Minas Gerais, onde ficam aproximadamente 60% de seu território. A Unidade está localizada entre as cidades do Rio de Janeiro e São Paulo, próximo à Rodovia Presidente Dutra, tendo como polo econômico mais próximo a cidade de Resende. Apresenta um relevo caracterizado por montanhas e elevações rochosas, com altitude variando de 600 a 2.791 m, no seu ponto culminante, o Pico das Agulhas Negras.

Na região do Planalto do Itatiaia, também conhecida como Parte Alta, encontram-se os campos de altitude e os vales suspensos onde nascem vários rios. A área do parque abrange nascentes de 12 importantes bacias hidrográficas regionais, que drenam para duas bacias principais: a do rio Grande, afluente do rio Paraná, e a do rio Paraíba do Sul, o mais importante do Rio de Janeiro.

A parte baixa caracteriza-se principalmente por sua vegetação exuberante e generosos cursos d'água, com diversas áreas apropriadas para banho. Tem fácil acesso a partir da Via Dutra e recebe o maior fluxo de turistas do Parque, concentrando a maior parte da estrutura de visitação, com destaque para o Centro de Visitantes.

O parque possui vários atrativos tanto na parte alta quanto na parte baixa da unidade. Na alta encontram-se atrativos naturais como o Pico das Agulhas Negras, Maciço das Prateleiras, Vale do Aiuruóca e a Pedra do Altar. Já na baixa, encontram-se o Lago Azul, Cachoeira Poranga, Piscina Natural do Maromba, Cachoeira Itaporani, Cachoeira Véu de Noiva e os Três Picos.

 

Vista do pico do Último Adeus, um dos atrativos da parte alta do Parque de Itatiaia / Foto: Site ICMBIO/Divulgação

 

QUANDO IR

Administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), o parque pode ser visitado todos os dias do ano, mas o melhor período para conhecer a parte alta é durante o inverno. Enquanto que a parte baixa pode ser desfrutada durante todo ano, mesmo no verão, porém é época de grande incidência de chuva.

O horário de funcionamento é diferente para a parte baixa e parte alta do parque. Na parte baixa o horário para ingresso inicia-se às 08h, com permanência até às 17h. Nas cachoeiras do Complexo do Maromba a permanência é até às 16h. Em caso de chuva, as cachoeiras poderão ser interditadas a qualquer momento para a segurança do visitante, pois há riscos de cabeça d'água.

E na parte alta, o horário para ingresso é das 07h às 14h. A permanência estende-se até às 17h, impreterivelmente.

 

ORIENTAÇÕES

Em época de chuva, ida à cachoeiras é inviável

Antes de programar sua ida ao parque nacional verifique se o roteiro (trilha ou travessia) que pretende fazer é permitido.

Em épocas de chuva oriente-se com a administração do parque sobre a possibilidade de ocorrência de trombas d ´água, pois elas inviabilizam o acesso às cachoeiras. A tromba d´água é um fenômeno decorrente do acúmulo de água na cabeceira do rio, provocando uma enchente repentina arrastando o que estiver em seu curso.

Para o visitante que vai à Parte Alta, o parque possui, como opção, um Programa de Condutores de Visitantes, cadastrados, que podem auxiliar na experiência de visita. Assim mesmo, é necessário que o visitante assine um Termo de Responsabilidade que lhe é apresentado no portão de entrada. Porém, não é obrigatório a contratação dos condutores, mas sim uma opção.

O Lago Azul é a atração natural mais próxima do Centro de Visitantes, ficando a mais ou menos 500 metros. A trilha é bem acessível para toda a família, exceto sua escadaria com aproximadamente 120 degraus, que requer cuidado por parte dos mais idosos. O percurso leva à piscina natural do rio Campo Belo, local bem recomendado para o banho. Próximo encontram-se quiosques, que podem ser utilizados livremente. Existe uma segunda opção de trilha, mais longa e sem degraus, o que permite uma caminhada mais leve e segura para os mais idosos e pessoas com dificuldade de locomoção.

 

CACHOEIRAS

Complexo Maromba conta com três atrações

O Complexo Maromba fica a 4 km de subida do Centro de Visitantes. Compreende a Piscina Natural do Maromba, a Cachoeira Itaporani e a Cachoeira Véu de Noiva. Estacionando após a ponte o visitante tem acesso a estas três atrações.

A Piscina Natural do Maromba fica a 1.100 metros de altitude. É onde o rio se acalma para formar uma grande piscina natural, cujo acesso se dá descendo uma escadaria de aproximadamente 50 metros após a ponte. De grandes dimensões, a piscina é muito utilizada por banhistas experientes.

A Cachoeira Itaporani, fica a mais ou menos 640 metros a partir da ponte. Localiza-se no final de uma trilha que adentra a mata. Descendo pela escada de madeira plástica, o visitante pode vislumbrar a bela cachoeira e o lago que ela forma.

No meio do caminho para a Cachoeira Itaporani temos acesso a outra trilha que, seguindo 260 metros, leva à Cachoeira Véu de Noiva. No final de uma rústica picada, com a ponte de madeira plástica e escadas de pedra, chega-se a uma parte do rio Maromba, que cai repentinamente de uma altura de 40 metros, formando a belíssima cachoeira. Na época do verão suas águas se avolumam fazendo jus ao nome: Cachoeira Véu de Noiva.

 

PICO DAS AGULHAS NEGRAS

O maciço das Agulhas Negras é a principal elevação no planalto, seu pico atinge 2.791,55 m, o ponto mais alto do parque e quinto mais alto do país segundo dados do IBGE. O visitante tem a opção de caminhar apenas até a base ou seguir até o cume, sendo essas opções escolhidas já no Posto Marcão, onde existe hoje o controle dos visitantes.

O acesso é feito a partir do Abrigo Rebouças, caminhando por áreas de Campos de Altitude. Até a base das Agulhas Negras são 1.300 m que podem ser percorridos em aproximadamente 45 minutos. O tempo de ascensão varia de acordo com a via a ser utilizada, pois o maciço possui mais de 20 vias de escalada com diferentes graus de dificuldade.

Além da visitação normal, o local é utilizado também para treinamento de grupos especiais e militares. Nessas ocasiões o acesso ao maciço é limitado para os grupos em treinamento, sendo as informações divulgadas na BR-485, próximo à Garganta do Registro.

 

Cachoeira Véu de Noiva: no verão as águas se avolumam, fazendo jus ao nome / Turistas fazem travessias do parque ou trilhas para chegar nos atrativos das partes baixa e alta / Fotos: Site ICMBIO/Divulgação


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »