03/06/2017 às 05h34min - Atualizada em 03/06/2017 às 05h34min

Uberlândia recebe Supercombo pela primeira vez

Banda capixaba radicada em São Paulo se apresenta no London Pub com abertura da Minimal

ADREANA OLIVEIRA | EDITORA
Supercombo viaja com a turnê de “Rogério”, quarto álbum lançado no ano passado, e estreia em palco uberlandense / Foto: Divulgação

 

Eles vêm de um cenário que já revelou para o Brasil, no underground, Mukeka di Rato e Dead Fish. Com uma pegada mais pop rock a Supercombo colocou Vitória (ES) novamente no mapa do rock alternativo e com força total. A banda, atualmente radicada em São Paulo, se apresenta pela primeira vez em Uberlândia nesta noite, no London Pub, com abertura da banda uberlandense Minimal.

Com quatro discos - "Festa?" (2007), "Sal grosso" (2011), "Amianto" (2014) e "Rogério" (2016) - e dois EPs - "Supercombo" (2010) e "Jovem" (2017) - eles ganharam projeção nacional ao chegar ao Top 12 do reality musical "SuperStar" (Globo), em 2015. A partir daí, provaram que existe sim vida após um reality.

Em "Rogério", ousaram na produção visual da capa e encarte do CD e estão com as vendas em ascensão nas plataformas digitais. As 12 músicas flutuam entre uma sonoridade mais pop e outra mais carregada, comprovando a multiplicidade das influências da banda assim como sua competência em soar contemporânea. O disco traz participações de Lucas Silveira, da Fresno ("Bomba relógio"), Mauro Henrique ("Monstros"), Raony e Keops ("Magayver", Gustavo Bertoni, da Scalene ("Grão de areia"), Emilly Barreto ("A piscina e o karma"), Sérgio Brito, dos Titãs ("Eutanásia”) e Negra Li ("Lentes”).

Se você está curioso para descobrir quem é "Rogério" é melhor ouvir o álbum todo, porque ele vai além do algo ou alguém. Além das músicas do disco mais recente, a banda deve contemplar, no setlist desta noite, canções que são sucesso em todo o país, como "Piloto automático" e "Amianto".

A banda é formada por Leonardo Ramos (vocal e guitarra), Pedro Ramos (guitarra e vocal), Carol Navarro (baixo e vocal), Paulo Vaz (teclado e efeitos) e Raul de Paula (bateria). No final do ano passado, Raul se afastou por um tempo por questões pessoais e a banda tem se apresentado com bateristas convidados nesta turnê. Em Uberlândia, esse convidado já é bem conhecido, Jean Dolabella, natural de Uberaba, que já passou por Udora e Sepultura.

Confira entrevista da baixista Carol Navarro para o Diário do Comércio.

 

DIÁRIO DO COMÉRCIO - Em Uberlândia, o público espera ansiosamente pelo primeiro show do Supercombo. Os camarotes da casa já estão esgotados, então, podem esperar pela casa cheia. Como estão os shows de "Rogério"?

SUPERCOMBO - Na turnê do "Rogério" nós ousamos investir numa estrutura de palco um pouco diferente do que vínhamos trabalhando. E isso gerou mais trabalho pra nós no sentido de estruturar novo backline, novo cenário e mais gente na equipe. Isso gera certa dificuldade, mas formatando direitinho e colocando tudo nos eixos o resto flui.

DC - Eu recebi o álbum no ano passado e gostei da estética toda, bem ousado. Em contrapartida, sei que as vendas digitais são o que mais têm ajudado as bandas ultimamente. Vocês pretendem continuar lançando discos físicos?

SC - Por enquanto sim. O disco é mais pra termos o material físico, e a galera comprar como souvenir. No "Rogério" pensamos justamente isso. Quisemos brincar com as imagens. Quem compra o disco, ganha também uma experiência massa de ilusão de ótica feita pelo Juarez Tanure.

DC - Gostei dos artistas convidados para o álbum que traz boas letras e belas melodias. Vocês praticamente conceberam esse disco na estrada. Fala dos anjos e demônios que cada um carrega de forma leve. Pode-se dizer que a complexidade do ser humano é uma das coisas que mais inspira vocês?

SC - A complexidade e a descomplexidade também. Vivemos numa época doida em que tudo pode e não pode. E é aí que a gente se perde, e começamos a refletir sobre o que realmente importa e faz sentido pra cada um numa perspectiva positiva.

DC - Em Uberlândia terão abertura da banda Minimal, que já lançou um EP e tem se dedicado a propagar os sons próprios da banda, mesmo ainda tocando cover na noite. Que dica vocês podem dar pra essa galera conseguir mais adesão ao som autoral?

SC - Realmente é difícil você chegar já "bombando" com um som autoral. O trabalho é minucioso e de degrau em degrau. Estudar o mercado musical e o crescimento da cena é muito importante pra fluir e conseguir se colocar no meio. Tem que brigar contra o tempo, mas sempre com paciência e perseverança.

 

SERVIÇO

O QUE: Show da turnê "Rogério"

QUEM: banda Supercombo com abertura da banda Minimal

QUANDO: Hoje, a partir das 22h

ONDE: London Pub (Av. Floriano Peixoto, 39, Centro)

INGRESSOS: A partir de R$ 35 (camarotes esgotados)

INFORMAÇÕES: 3236-5081


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »