20/04/2017 às 08h33min - Atualizada em 20/04/2017 às 08h33min

Força policial prende grupo que invadiu shopping

13 pessoas foram presas acusadas de dezenas de crimes violentos em Uberlândia e região

Walace Torres - editor
Da Redação

Duas operações desencadeadas ontem pela Polícia Civil e as demais corporações que integram a Força Integrada de Combate ao Crime Organizado (Ficco) em Uberlândia resultaram na prisão de 13 pessoas envolvidas em dezenas de crimes violentos, entre eles a invasão ao Uberlândia Shopping na madrugada do dia 10 de março, quando houve a explosão a caixa eletrônico e roubo a uma joalheria. Dezenas de objetos furtados em residências e estabelecimentos comerciais foram recuperados e apreendidos, bem como quatro carros e uma moto. Também foram apreendidos mais de 10 quilos de maconha, duas armas de fogo, capuzes, luvas, diversas ferramentas utilizadas em roubos a agências bancárias e comércio. Até um jabuti foi encontrado na residência de um dos presos.

Segundo a polícia, os acusados têm entre 18 a 24 anos, dentre eles uma mulher. Todos residem em Uberlândia e teriam praticado crimes na cidade e na região. As apreensões e prisões aconteceram em vários pontos de Uberlândia.

“A prisão desse grupo é a comprovação da tese de que os indivíduos que fazem explosões de bancos não são necessariamente de organizações especializadas, mas voltados para a prática criminosa”, disse o delegado da Polícia Federal, Carlos Henrique Cotta D´Ângelo, que integra a força integrada. “Isso não significa dizer que esses indivíduos não tenham um grau de periculosidade. Até pelo despreparo e descontrole, eles se mostram também extremamente perigosos, são usuários de drogas no ato de crimes, o que leva a polícia a ter uma postura muito severa, muito forte e contundente, com possibilidade de confronto com esses indivíduos”, completou.

De acordo com a força integrada, a quadrilha cometeu dezenas de crimes violentos, entre eles, explosões a caixas eletrônicos, roubos a agências e comércio, roubo de veículos, furto a residências e tráfico de drogas. A Polícia Civil conta agora com a colaboração das vítimas para identificar os autores e provavelmente elucidar outros crimes que estariam relacionados ao grupo.

Ao todo, as duas operações tiveram a participação de 50 policiais, entre civis, federais, militares e da Polícia Rodoviária Federal. Foram cumpridos 13 mandados de busca e apreensão e outros 11 de prisão preventiva e temporária.

 

CIVIL

Investigação teve início com roubo de veículos

 

A identificação da quadrilha teve início durante as investigações da Polícia Civil em casos de furtos e roubos de veículos. Segundo o delegado da Polícia Civil Daniel Azevedo Batista, há cerca de três meses a polícia foi acionada por vítimas que tiveram seus veículos roubados em lava jatos da cidade. Um dos autores, de 18 anos, teria inclusive levado um carro de um promotor de Justiça. A partir daí, foram abertos vários inquéritos e feitas prisões em flagrante. “Durante o trabalho investigativo descobrimos que alguns veículos roubados eram destinados para quadrilha especializada em explosão de caixa eletrônica, e que mantinha também uma veia no tráfico de drogas e furto à residências. Em contato com a Polícia Federal e a força integrada, tivemos um desencadeamento das duas operações”, disse o delegado Daniel Batista.

A polícia também chegou até um receptador de produtos furtados, principalmente materiais de papelaria, além de jogos eletrônicos, televisor, relógio de parede, violão, entre outros produtos.

“A resposta da polícia foi da altura da audácia criminosa deles. Essa operação, com certeza, não se encerra aqui, temos muito ainda que investigar para fechar os inquéritos”, disse o delegado Fábio Ruz.

A Força Integrada de Combate ao Crime Organização surgiu há dois anos a partir de um trabalho conjunto das polícias Civil, Militar, Federal e Rodoviária Federal. A ideia começou em Belo Horizonte, mas hoje apenas Uberlândia conta com essa integração entre as polícias, especialmente na parte de investigação, o que tem contribuído para desmobilizar quadrilhas e elucidar crimes em Uberlândia.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »