07/03/2017 às 08h51min - Atualizada em 07/03/2017 às 08h51min

Coluna Bola em Jogo

Equivalência confirmada

O Uberlândia perdeu para o América em Belo Horizonte, mais uma vez, num jogo equilibrado e que mostrou dois times que marcam muito, criam menos que o necessário e concluem mal as jogadas agudas em busca do gol. Como eu havia escrito na coluna de sábado, são times equivalentes. A diferença mínima, que deu a vitória ao Coelho, aconteceu num único lance, originário da cobrança de um corner, em que o time da Capital foi eficiente e o time uberlandense falhou na marcação. O resumo do que aconteceu é este. Dos dois lados, reclamações sem veemência de pênalti contra o adversário. Os lances existiram, mas o árbitro realmente não viu e não marcou. Para a felicidade dele, não viu os dois lances, porque se visse somente um e acontecesse o gol em consequência, a sua arbitragem seria ruim. No começo do jogo a bola raspou na mão do zagueiro Mauro Viana, do Uberlândia, e na metade do segundo tempo também raspou nas pontas dos dedos do zagueiro Messias, do América. Os dois lances também deixam evidente a diferença entre os olhos humanos e os das várias câmeras de televisão que são usadas na cobertura dos jogos. Os dois times carecem de mais qualidade na criação e principalmente nas chegadas ofensivas e conclusões para o gol.

Mais seis pontos

No atual campeonato mineiro alguns times buscam acabar de se arrumar para as disputas da Libertadores, Sul-Americana e campeonatos brasileiros das séries A, B e C. São os casos, pela ordem, de Atlético, Cruzeiro, América, Tombense e Tupi. Lá embaixo, lutam contra o rebaixamento o América de Teófilo Otoni, o Democrata de Valadares e o Tricordiano. O Uberlândia Esporte busca uma das três vagas mineiras para o Campeonato Brasileiro da Série D na temporada de 2018. Este é o seu grande e principal objetivo no atual campeonato. Na mesma disputa estão mais três times: URT, Caldense e Villa Nova. Faltando cinco rodadas para terminar a primeira fase, que vai definir tudo isto, Uberlândia e URT estão com nove pontos ganhos, a Caldense tem cinco e o Villa Nova tem quatro. No ano passado, a URT conquistou a vaga com 19 pontos, mas Caldense e Villa conquistaram com 14, os dois. O Uberlândia, portanto, deve buscar mais seis pontos para garantir uma vaga e vai enfrentar os três concorrentes. No próximo domingo visitará o Villa Nova. Se ganhar lá passará a 12 pontos e o Villa ficaria muito complicado. Na oitava rodada vai receber a Caldense e na décima visitará a URT, em Patos de Minas. Na nona terá a “carne de pescoço” chamada Cruzeiro no Sabiá, mas o Cruzeiro envolvido também com Sul-Americana e Copa do Brasil, o que pode ajudar ao Uberlândia. E na rodada final receberá o Tupi no Sabiá. Portanto, o negócio do Uberlândia é melhorar do meio pra frente, com os reforços que estão chegando, e garantir a vaga para a Série D da CBF.

Uberaba e CAP

Registrei nesta coluna que assisti ao jogo Uberaba 1 x 0 Araxá, realizado aqui no Sabiá, pela segunda rodada, e que me decepcionei com o Colorado por ter alguns jogadores mal fisicamente e ser mais deficiente tecnicamente do que eu poderia imaginar. Emendei que o Araxá é fraco. De lá para cá, com tempo de trabalhar a semana inteira, o técnico Vantuil Rodrigues e sua comissão técnica, sem dúvida, melhoraram o Uberaba, que emendou mais duas vitórias. No Uberabão, 2 a 1 sobre o CAP-Uberlândia, e no último domingo, de forma sensacional, 2 a 1 sobre o Boa, lá em Varginha. É líder e agora é o favorito que eu previa. O Boa, o outro favorito do grupo B, agora terá que reagir rápido, pois é terceiro com quatro pontos, pontuação igual à do Mamoré, quarto. Já o CAP-Uberlândia conseguiu uma boa vitória de 3 a 0 no último sábado, no Sabiá, sobre o Araxá. Este teve zagueiro expulso e jogou com dez desde a metade do primeiro tempo. O técnico Luís Eduardo tirou partido disto, arrumou o CAP no intervalo, e o time conquistou a folgada vitória. Quem sabe possa realmente reagir ainda no campeonato? Pode ser que o CAP tenha estreado reforços contra o Araxá, mas não passa informações a nós da comunicação esportiva e não tinha uma rádio transmitindo. Levei o meu radinho, mas nada de informação.

 


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »