21/02/2017 às 08h45min - Atualizada em 21/02/2017 às 08h45min

SANEAMENTO BÁSICO Uberlândia melhora posição nacional

MUNICÍPIO TEM O SEGUNDO MELHOR SANEAMENTO DO PAÍS E TAMBÉM A SEGUNDA MENOR TARIFA DE ÁGUA

Walace Torres - editor
Da Redação

Uberlândia melhorou uma posição no Ranking do Saneamento e agora ocupa o 2º lugar entre os 100 maiores municípios brasileiros. Uberlândia também tem a 2ª posição entre os 20 melhores saneamentos do país. O primeiro lugar continua com o município de Franca (SP) pelo quarto ano seguido. O levantamento aponta ainda que Uberlândia tem a segunda menor tarifa de água do país, R$ 1,58 por m3  - só perde para Volta Redonda (RJ) onde a tarifa média é de R$ 1,38 por m3.

Lançado desde 2009 pelo Instituto Trata Brasil, o Ranking do Saneamento Básico é feito em parceria com a GO Associados, especializada em saneamento básico. O trabalho usa dados oficiais do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), do Ministério das Cidades, e tem como referência as informações repassadas pelos próprios municípios. O ranking leva como parâmetros os dados apresentados dois anos antes da publicação. Ou seja, o Ranking do Saneamento 2017 tem como base o ano de 2015.

O estudo avalia a evolução dos indicadores de água, esgotos, investimentos e perdas de água nas maiores cidades e com foco nas capitais brasileiras.

De acordo com o levantamento, o melhor indicador de Uberlândia é com relação ao atendimento de água, chegando aos 100% de cobertura da população. Em todo o país, há 16 municípios que possuem 100% de atendimento total de água. O índice é o mesmo quando a cobertura se refere apenas a área urbana. Um dos fatores que contribuiu para essa nota é que o município efetuou 2.956 novas ligações de água no período, o mesmo número que faltava para alcançar a universalização do serviço.

Os parâmetros são um pouco inferiores quando se trata de esgoto. O atendimento total de esgoto é de 97,23% da população, o que coloca o município na 15ª posição neste quesito. Se comparar apenas o atendimento na área urbana, a cobertura chega a 100%. Com relação ao total de esgoto tratado por água consumida,  o índice é de 81,20% - no município de Franca essa relação chega a 98%.

Uberlândia executou 5.903 novas ligações de esgoto de um total de 7.346 para alcançar a universalização do serviço.

O município apresentou uma evolução tímida com relação às perdas no faturamento de água, que estima o quanto da água potável produzida não foi faturada. Pode ser consequência de vazamentos, roubos, fraudes, falhas nos hidrômetros, entre outras causas. Em 2015, o índice chegou a 24,41%, ante os 25,15% de perdas registrados no ano anterior.

Já o indicador de perdas na distribuição apresentou um resultado melhor: 25,54% em 2015 contra 28,40% registrados em 2014.

 

NOVIDADES

 

Trata Brasil usa nova metodologia com inclusão de alguns indicadores

 

 

Desde 2016, o Instituto Trata Brasil usa uma nova metodologia criada pela GO

Associados, após ouvir autoridades e entidades ligados ao setor de saneamento

básico em todo o país. Houve a inclusão dos indicadores urbanos para o atendimento

de água e coleta e do indicador de perdas de água na distribuição. Os indicadores de

investimentos e arrecadação agora consideram a soma dos últimos 5 anos, ao invés

apenas do ano em análise (2015), assim consegue-se ter uma ideia melhor do esforço

das cidades com o saneamento básico ao longo do tempo.

Uberlândia investiu nos últimos cinco anos R$ 214,11 milhões por ano, enquanto que a arrecadação no mesmo período foi de R$ 769,15 milhões. O investimento médio anual por habitante foi de R$ 323,25.

 

(arte)

 

Dados Uberlândia

 

Posição no ranking         2ª

População          662.362

Atendimento total de água        100%

Atendimento urbano de água   100%

Atendimento total de esgoto    97,23%

Atendimento urbano de esgoto              100%

Esgoto tratado por água consumida       81,20%

Investimento 5 anos      R$ 214,11 por ano

Investimento médio anual por habitante            R$ 323,25

Indicador de perdas no faturamento     24,41%

Indicador de perdas na distribuição        25,54%


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »