03/02/2017 às 10h31min - Atualizada em 03/02/2017 às 10h31min

Alunos do Grupontapé iniciam temporada na cidade Com o processo de um ano o núcleo dá origem a uma nova companhia de teatro

THANERESSA LIMA/DIVULGAÇÃO A peça “A aurora da minha vida” tem estreia marcada para amanhã

ADREANA OLIVEIRA | EDITORA

Aos poucos o ano teatral começa em Uberlândia. Uma nova produção de talentos locais estreia amanhã e terá exibição nos próximos três finais de semana. O espetáculo “A aurora da minha vida” será encenada pelos alunos da “Oficina de Montagem” da Escola Livre do Grupontapé de Teatro que faz parte das ações propostas pelo projeto de manutenção do grupo aprovado na Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais.

A diretora do espetáculo, Juliana Nazar, conversou ontem com a reportagem do Diário do Comércio em meio à correria dos dias que antecedem a estreia. “O mais difícil nestes dias é segurar o nervosismo dos alunos e o meu. O grosso já está pronto e precisamos mesmo alinhar alguns detalhes”, afirma.

Geralmente os alunos do curso de teatro fazem a aula e vão para casa. Nas oficinas de montagem, não é só a aula de atuação que está em jogo. Eles fazem também preparação corporal e vocal além de aprenderem mais sobre os bastidores e tudo que é necessário para a realização de uma peça. “O ofício do ator vai além de entrar em cena. No caso deles, promoveram os próprios eventos e já têm capacidade de fazer uma montagem desde a parte burocrática, passando pela técnica e concepção em si”, comenta Juliana Nazar.

De alunos a novos atores, mas sem deixar de lado o eterno aprendizado, o grupo que começa com a “A aurora da minha vida” vem dar mais gás à cena teatral de Uberlândia, que, para Juliana Nazar, comporta sim novas iniciativas. “Uberlândia tem boas companhias teatrais e quanto mais gente fizer algo relevante melhor para a cena, para a cidade, para todo mundo. Há pessoas que só falam em teatro quando algum espetáculo grande vem de fora, mas isso está mudando a partir do momento em que as companhias locais começam a mostrar um trabalho relevante. Tem espaço para todo mundo”, disse Juliana Nazar.

O ESPETÁCULO

“A aurora da minha vida” é um texto de Naum Alves de Souza, adaptado pela diretora da peça Juliana Nazar. A escolha foi feita partindo do princípio de que teatro é transformação, reflexão e visão crítica acerca de assuntos recorrentes. Quem não se lembra das ocupações recentes das escolas?

“Os jovens têm mostrado que querem cumprir o seu papel social e a arte tem que estar atenta a isso. Nesse texto, há uma chamada para reflexão sobre o sistema educacional do Brasil, retratando uma escola ambientada na década de 70, com seus diretores, professores, estrutura escolar e os alunos, que estavam ‘sendo educados no caminho que deveriam andar’. Daí nos perguntamos: o que temos de diferente hoje? O que era a educação? O que hoje é a educação? O que mudou? Como a escola educa o aluno hoje? O que é recorrente?”, comenta Juliana Nazar.

A diretora afirma que mesmo retratando a escola daquela época, o que se quer com esse espetáculo é trazer a discussão para a atualidade, sendo um estudo sobre o que foi, o que é e o que será da educação no Brasil.

 

O projeto

Grupo tem espetáculos premiados e reconhecidos

A “Oficina de Montagem” é uma das atividades oferecidas pela Escola Livre e já possibilitou que alguns alunos passassem pela experiência do processo de uma montagem teatral. Mesmo se deparando com dificuldades, os responsáveis pelo projeto conquistaram resultados positivos. “Mesmo não tendo perspectiva de verba para a realização da montagem, resolvemos começar a oficina com nossa estrutura, os profissionais os alunos/atores que toparam e investiram nessa empreitada. Criamos um Núcleo de Produção com eles e conseguimos pedagogicamente angariar mais recurso”, diz Katia Bizinotto, coordenadora de projetos da Escola Livre e que assumiu o Núcleo de Produção.

Esse projeto também representa uma transição, pois passarão de alunos da “Oficina de Montagem” para a Cia Tropeço de Teatro, nome com o qual passará a se identificar”, destaca a diretora Juliana Nazar. Antes da estreia em Uebrlândia, o grupo do espetáculo já foi premiado. No Festival Mínima Cena Uberaba Sara Bernardes ganhou o título de melhor atuação. No Fest 15 Uberaba Janaína Mangini foi eleita segunda melhor atriz, Juliana Nazar a segunda melhor diretora e “O aluno que comia caca de nariz” ficou como a segunda melhor cena.

 

SERVIÇO

O quê: “Aurora da Minha Vida”

Quando: Amanhã e domingo (5) e dias 11, 12, 18 e 19 de fevereiro

Local: Escola Livre do Grupontapé de Teatro - Rua Tupaciguara 471, em Uberlândia-MG

Horário: Sempre às 20h

Entrada: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada)

 

FICHA TÉCNICA

Direção: Juliana Nazar

Texto: Naum Alves de Souza

Adaptação e Direção: Juliana Nazar

Elenco: Aryel Costa, Betina De Bem, Enderson Silva, Faninho Ebenézer, Giovanna Faria, Janaína Mangini, Johan Alves, Luan Taylor, Maria Fernanda Nunes, Meirielle Cândido, Michelle Cândido, Náthaly Vieira, Ryan Carlos, Sara Bernardes, Sylvana Santos

Assistente de Direção: Janaina Mangini

Preparação Corporal: Aryel Costa

Preparação Musical: Marcial Rezende

Preparação Vocal: Sara Bernardes

Adaptação Melódica das Músicas: Betina de Bem, Sara Bernardes e Cícero Mota

Instrutor da Fanfarra: Faninho Ebenézer

Sonoplastia: Juliana Nazar

Adereços: Flávio Arciole

Iluminação: Juliano Rodrigues

Cenário e Figurino: Juliana Nazar e Juliano Rodrigues

Consultoria Teatro Épico: Cássio Machado

Assistência Pedagógica: Laila Maria

Oficina de Construção de Instrumentos: Rafael Naufel

Coordenação de Produção Artística: Katia Bizinotto


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »