22/12/2016 às 09h30min - Atualizada em 22/12/2016 às 09h30min

Odebrecht pagou propina de R$ 3,4 bi; Permitido saque em conta inativa do FGTS. Jornais de quinta (22)

A Odebrecht pagou propina em 12 países, somando valores que chegaram a US$ 1 bilhão (R$ 3,4 bilhões no câmbio atual), e o governo americano classificou o esquema da empresa como “o maior caso de suborno da História”.  

O acordo de leniência internacional assinado pela Odebrecht e Braskem com autoridades dos Estados Unidos, da Suíça e do Brasil está nas manchetes dos jornais de quinta (22) e foi tratado pelo blog na quarta (21)

No Estado de S. Paulo: “Odebrecht pagou propina de R$ 3,4 bi em 12 países”. Na Folha de S.Paulo: “Odebrecht pagou US$ 1 bi em propina”. O Globo trouxe um título no alto: “‘O maior caso de corrupção da História’”. 

Mas a manchete do jornal carioca é sobre a decisão do governo de permitir o saque das contas inativas do FGTS. Desta forma, estará injetando R$ 30 bilhões na economia. “Conta inativa do FGTS poderá ter saques”. 

O Valor destaca que o governo vai mudar o crédito rotativo do cartão. Após trinta dias de atraso, o saldo deixa de ser crédito rotativo e passa a ser crédito parcelado. Isso significa que os juros, hoje em 475%, caem para 136,6%. “Governo decide mexer no crédito rotativo dos cartões”. 

O governo anunciará também nesta quinta-feira (22) uma mini reforma trabalhista, abrindo caminho para jornada de trabalho maior, além de diferentes tipos de contratação.

Outros destaques: o Estadão informa que Lucio Funaro foi o responsável por entregar R$ 1 milhão a José Yunes, ex-assessor especial do presidente Michel Temer; Uma pesquisa do Ibope mostra que cresceu o número de conservadores no país.

 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »