21/12/2021 às 08h00min - Atualizada em 21/12/2021 às 08h00min

O jeitão do Renato

ANTÔNIO PEREIRA
Oscar Virgílio, Samuel Vital e Renato de Freitas | Foto: Divulgação
Renato de Freitas foi um prefeito diferenciado. Quando me chamou para fazer parte do seu secretariado, me disse: Você fica um mês comigo, se eu gostar, você continua, se não, eu te dispenso. Você faz a mesma coisa. Se não gostar, peça pra sair.
        
Chegou uma hora que tive que sair. Fiz concurso para Auditor Fiscal do Estado, passei e fui nomeado. Procurei o Dr. Samuel Vital Ferreira e convidei-o para ficar no meu lugar. Eu falaria com o Renato. Ferreira topou. Tinham sido colegas na faculdade de Direito. Conheciam-se de lá. Formaram-se juntos.
       
Renato admitiu-o.
       
Lá um dia, o prefeito fez uma viagem rápida. Chegou queixa na secretaria de que faltava água numa região da cidade. Naquele tempo, a água vinha do Lagoinha, do Glória e de um pequeno manancial da chácara de Alexandrino Garcia, que abastecia a Cidade Industrial. Era só isso. Faltar água era coisa comum. Ferreira chamou o encarregado do serviço e perguntou o que estava acontecendo. Era um vazamento. Vamos lá ver, disse o novo secretário. Era um velho cano de ferro que estourara. Só isso? Perguntou. Três dias e vocês não consertam? Pois, vamos ficar aqui até resolver o problema. Ainda que entre noite afora. Vou buscar um lanche pra vocês. E o problema se resolveu.
       
O Renato chegou e ficou sabendo. Chamou o Ferreira. Confirmou. Queiroz, o contador da prefeitura, acumulava essa função com a chefia do DMAE, recém-criado. Renato mandou o Ferreira buscar o Queiroz e acrescentou: Você vai ser o chefe do DMAE. Ferreira ficou constrangido ao buscar o colega. Contou-lhe o porquê e percebeu que o companheiro não gostara da notícia. Voltaram ao prefeito. Renato secamente comunicou ao seu contador que era para passar o cargo no DMAE para o Ferreira. Com aquele seu jeito simples, o Queiroz apenas respondeu sim senhor.
       
Depois que o Queiroz se foi, o Samuel, ainda consternado e assustado com a decisão do prefeito, confessou:
       
- Renato, eu não entendo nada de água.
E o Renato:
- Eu também não entendia nada de prefeitura e não estou aqui?
E o Samuel Ferreira ficou e organizou, estruturou e fez funcionar bem o Departamento.
Leia Também »
Comentários »