19/10/2021 às 08h00min - Atualizada em 19/10/2021 às 08h00min

SUPERLIGAS DE VÔLEI COMEÇAM ESTE MÊS

ALBERTO GOMIDE
Divulgação
A Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) se reuniu com os representantes dos clubes participantes da Superliga de Vôlei (feminino e masculino) 2021/2022. Além de discutir questões relativas a tabela e regulamento das competições, os encontros tiveram o objetivo de dividir a estratégia e diretrizes de marketing para os clubes dos dois gêneros. A Superliga é uma marca registrada de propriedade da Confederação Brasileira de Voleibol - CBV, que denomina o Campeonato Brasileiro de Clubes, sendo este o 44º Campeonato de Clubes e a 28ª Superliga.
 
O gestor do projeto do Dentil/Praia Clube, de Uberlândia, André Luis Lelis, foi um dos mais entusiasmados com as novidades.
 
“Fiquei muito impressionado com o que foi apresentado na reunião. Mudanças significativas foram pensadas em prol do produto voleibol. Conseguimos avanços importantes como os desbloqueios de alguns segmentos da Superliga, o que futuramente ajudará na manutenção dos clubes. O aumento do aproveitamento do espaço de quadra, garantia de transmissão de todos os jogos estão entre os destaques”, contou André Lelis.
 
A Superliga masculina de vôlei 21/22 começa no dia 23 de outubro com 12 equipes, e participação de Azulim/Gabarito/Uberlândia (MG), Funvic/Educacoin/Natal (RN), Apan/Eleva/Educacoin (SC), Brasília Vôlei (DF), Fiat/Gerdau/Minas (MG), Montes Claros América Vôlei (MG), Goiás Vôlei (GO), Sada Cruzeiro (MG), Sesi-SP, Vedacit Vôlei Guarulhos (SP), Vôlei Renata (SP) e Farma Conde Vôlei (SP).
 
No dia 29 de outubro, também com 12 equipes, terá início a Superliga feminina de vôlei 21/22, com a participação de Brasília Vôlei (DF), Curitiba Vôlei (PR), Dentil/Praia Clube Uberlândia (MG), Pinheiros (SP), Fluminense (RJ), Itambé/Minas (MG), Osasco São Cristóvão Saúde (SP), Country Club Valinhos (SP), Unilife-Maringá (PR), Barueri Volleyball Club (SP), Sesc RJ Flamengo (RJ) e Sesi Vôlei Bauru (SP).
 
A competição será disputada em quatro fases, assim denominadas: classificatória, quartas de final, semifinal e final. As equipes formarão um grupo único e serão elencadas de acordo com sua classificação na temporada anterior. A primeira fase é a classificatória e será disputada no sistema de ida e volta (turno e returno). A segunda fase será as quartas de final, com 8 equipes de melhor índice técnico na soma dos pontos do turno e do returno, em cruzamento obedecendo-se ao seguinte ordenamento: 1º x 8º, 2º x 7º, 3º x 6º e 4º x 5º no sistema de play-off melhor de três jogos, ou seja, vencedoras de duas partidas. 
 
A terceira fase, a semifinal será disputada, pelas 4 equipes vencedoras da fase anterior, respeitando-se o ordenamento, vencedores dos jogos 1º x 8º versus vencedor do jogo 4º x 5º e vencedores dos jogos 2º x 7º versus 3º x 6º no sistema de play-off melhor de três jogos, ou seja, vencedoras de duas partidas. A quarta e última fase logicamente será a final, disputada pelas duas equipes vencedoras da fase semifinal, também no sistema de play-off melhor de três jogos, ou seja, vencedoras de duas partidas.
 
A pontuação para a classificação geral, na fase classificatória, será a seguinte: vitória de 3x0 ou 3x1, vale 3 pontos, e vitória de 3x2, vale 2 pontos.
 
A equipe do Dentil/Praia continuará dirigida pelo técnico Paulo do Rêgo Barros Júnior, o Paulo Côco, 54 anos, natural de Olinda (PE), que comanda a equipe praiana desde 2017/2018. Os supervisores da equipe são André Luis Lelis e Bruno César Vilela Cardoso.
 
O Dentil/Praia foi campeão da Superliga Feminina em 2017-18, com o Rio de Janeiro sendo o vice-campeão. Nas temporadas 2018-19 e 2020-21 o Minas Tênis foi o campeão e o Dentil/Praia vice. A temporada 2019-20 foi cancelada devido à Covid-19. Mais uma vez, o Praia Clube montou um grupo de ponta e vai para a competição com o objetivo de conquistar mais um título na Superliga.
 
*Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.
 
Tags »
Relacionadas »
Comentários »