01/09/2021 às 19h09min - Atualizada em 02/09/2021 às 08h00min

A leveza e eficácia de aprender brincando

Por Vanessa Firmino, Gerente da Casa Thomas Jefferson em Uberlândia
Novas estratégias e ferramentas na prática educacional são testadas diariamente, sobretudo, com apoio da tecnologia da informação e comunicação (TIC) que levou, para a sala de aula, plataformas inovadoras, equipamentos eletrônicos e meios de proporcionar aos alunos acesso a milhares de conteúdos em um clique.

Mas a simplicidade do brincar ainda é bastante produtiva e deve ser mantida no cenário acadêmico, especialmente, para a educação infantil. A expressão “lúdico” tem origem na palavra latina ludus e faz referência a jogos e diversão. Neste sentido, o aprender brincando ou na abordagem das escolas de ensino da língua inglesa, o playful learning, associado à necessidade de vivências lúdicas no contexto do isolamento social exigido pela pandemia da Covid-19, se mostra ainda mais pertinente.

A importância da brincadeira para o desenvolvimento infantil está inserida na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), sendo um dos seis direitos de aprendizagem e desenvolvimento da criança: conviver, brincar, participar, explorar, expressar e conhecer-se. A relação entre todos estes verbos torna o processo de assimilação do conhecimento mais eficaz.

Associar ao conteúdo atividades extraclasse que podem ser realizadas em outros ambientes como a área verde da escola, uma praça de alimentação e no espaço de convivência, tradicionalmente utilizados pelos alunos para momentos de lazer e descontração, conferem um tom de leveza e liberdade na construção do conhecimento.

É necessário aos educadores entender que o brincar é uma atividade simples, mas não simplória, por ser essencial ao desenvolvimento infantil, principalmente, ao proporcionar à criança o prazer no contexto escolar e a felicidade no processo de ensino-aprendizagem. Desta forma, o senso crítico, o engajamento e a interação com os colegas tornam-se ainda maiores, ampliando, consequentemente, a capacidade de se expressar.

Nos dias atuais, uma das grandes preocupações dos pais e desafios para os professores é conseguir manter a atenção e concentração de crianças e jovens por um maior período de tempo. Isso se torna ainda mais complexo quando o tema não é atrativo ou divertido para o imaginário deles. Por isso, sair da rotina da sala de aula auxilia a desenvolver a capacidade de imaginação, abstração e aplicar ações relacionadas ao conteúdo que está sendo ministrado.

Ao observar a criança em uma atividade que utiliza o brincar como metodologia de ensino, é possível perceber que ela observa, escuta, utiliza a linguagem oral, troca informações, sorri, apresenta o seu ponto de vista e contempla visões diferentes sobre um mesmo assunto. De forma espontânea e criativa desperta o gosto pelo aprendizado.
 
Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.
Tags »
Relacionadas »
Comentários »