09/01/2021 às 08h00min - Atualizada em 09/01/2021 às 08h00min

2021, ao normal?

ADRIANO SANTOS

Bom, que 2020 interrompeu diversos sonhos todo mundo sabe, mas, e aí? 2021 volta ao normal?

Vou me referir esse texto de hoje às crianças, crianças que conseguiram índices, vagas, testes e oportunidades em muitos esportes coletivos diante todo Brasil. Crianças que fazem natação, handebol, voleibol, futebol, lutas e tantas outros esportes, que são de dedicação exclusiva e alimentam o futuro.

Técnicos e projetos, pais e mães, parceiros e dependentes do esporte que apostam pesado em 2021. Parece que estamos mais próximos de uma freada brusca nas atividades com os casos decorrentes de Covid-19, na absoluta certeza que o esporte perde muito com toda essa situação também.

O processo de formação esportiva de muitos atletas se perdeu. Cada período, cada processo de maturação dos mesmos, ficou extremamente aquém da normalidade. Para muitos, tempo perdido que jamais será obtido. Atletas que se aproximaram da vida adulta estarão cada vez mais expostos a não conseguir seus feitos no processo de inclusão dentro de um clube ou em qualquer esporte coletivo.

Atletas sub-18, sub-19, sub-20 e até sub-23 estão extremamente ofuscados com tantos problemas. As tentativas de congelar as categorias, por exemplo, atletas sub-17 no de 2020 seriam nascidos em 2003/2004, os nascidos em 2003 foram prejudicados, em 2021 são sub-18. As tentativas de federações e confederações de ajudá-los passaram pelos clubes e expectativas.

Técnicos, professores, empresas de transportes, árbitros, confecções, pais e mães, toda uma cadeia que também além de prejudicada anseia rapidamente uma vacina, que ficará a pergunta, o guarda-chuva do retorno dos esportes coletivos amador entre crianças e jovens será a volta às aulas?

Se o esporte de alto rendimento está a todo vapor, acredito que as categorias de base estarão sob tutela da vacina. Por enquanto existe uma equipe de até 30 atletas em média no profissional, existe milhares de sub-11, sub-9, subs e subs parados envolvendo muita gente.

Que 2021 possa ser diferente. Saúde.
 
LIBERTADORES
A libertadores está com cara de final Brasileira. Santos e Palmeiras fizeram muito bem seu dever de casa. O Santos foi operado pelo Var, num pênalti óbvio em Marinho, e o Palmeiras repetiu a dose fechando o túmulo do River Plate.

Final Brasileira, e muitos gols, porque Cuca e Abel, ambos técnicos, adoram atacar.

Futebol Brasileiro respira.


*Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.


 

Tags »
Relacionadas »
Comentários »