12/12/2020 às 09h00min - Atualizada em 12/12/2020 às 09h00min

Técnicos, técnicos, resultados, resultados

ADRIANO SANTOS

Lembrei quando o Ramon Menezes saiu do Vasco. O Vasco estava em décimo, hoje o Vasco de Sá Pinto está na zona de rebaixamento. O contestado Vasco, Ramon é vascaíno, conhecia o time, tinha tudo em mãos, inclusive as derrotas. O Vasco chegou a vencer três jogos seguidos, hoje o Vasco é um vexame.

As mudanças de técnicos são sempre contestadas, mas que muitas não têm nenhum efeito prático, a falta de planejamento é notória.

O Bahia saiu do 15° lugar com Roger para o 13° com Mano Menezes, saiu de 13° com Tiago Nunes, 17° com Coelho e agora 11° com Vagner Mancini e pior, ambos sem nenhum padrão de jogo, projeção e perspectiva fora isso.

O Flamengo pós Jesus é um grande fiasco. A construção de sistema de jogo é o grande desafio de Rogério Ceni, ainda sim teria feito a manutenção de Domenec Torrent, mandado embora pós 5x0.

Salve salve o mestre Renato Gaúcho, que pós o 5x0 ano passado x Flamengo na Libertadores é progressão no Grêmio, um time sem investimento assombroso, mas eficaz, está vivo na Libertadores, campeão Gaúcho e subindo no Brasileirão.
Renato Gaúcho está na marca de 4 anos no Grêmio, é referência. É espetacular.

A saída de Odair no Fluminense mexerá com as peças, Odair estava em ascensão no Fluminense, colocou a meninada de xerem entre os cincos primeiros colocados do Brasileirão.

Temos também o dedo de Raí, que bancou a permanência de Fernando Diniz. Diniz, Diniz, deus me livre do Diniz, mas quem me dera ter o Diniz no meu time do coração.

Diniz está há 14 meses no São Paulo, líder, e jogando bola dentro de um padrão convincente, eficaz e de resultados. Sempre defendi que Fernando Diniz deveria ser técnico do sub-15, sub-17 das bases das Seleções Brasileiras, o conjunto da obra é o que a base precisa.

Fernando Diniz mudou sua filosofia. Contra o Flamengo resolveu marcar, contra o Grêmio resolveu esperar, contra os demais ataca francamente, é adaptado, mas dá resultados. Coudet era a referência do Internacional, hoje Abel é a pedra do Internacional.

Vanderley largou o Vasco numa sequência, sem sequência foi demitido do Palmeiras. Diego Simeoni está há 7 temporadas no Atlético de Madrid, e tem mais finais juntos que todos os quatro do Rio de Janeiro. Técnico ganha jogo, planejamento técnico ganha campeonato. Como falta essa palavrinha no Brasil.

Dale Grêmio. Dale Renato Gaúcho.
 
Paixão Futebol.

*Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.

Tags »
Relacionadas »
Comentários »