12/12/2020 às 08h08min - Atualizada em 12/12/2020 às 08h08min

​O Keffir tá na moda

TÚLIO MENDHES
Ei... lembra dos penteados cheios de cabelos armados, aqueles que tinham como característica de ser bem divertidos, com uma dose de ousadia. Valia desde acessórios coloridos a coques duplos que roubavam as atenções. Pois é... estou falando dos cabelos dos Anos 90, que voltaram com tudo e você pode usar e abusar das produções que marcaram uma década cheia de descobertas!

E é com base nesse sentimento nostálgico e gostoso, que vou falar sobre o queridinho do momento. Ladies e gentleman... Senhora e senhores, lhes apresento o “alimento do momento”, KEFIR, também conhecido como cogumelo tibetano, plantas de iogurte ou cogumelo de iogurte. O kefir é um leite fermentado do leite pasteurizado ou fervido, com a utilização de grãos de kefir. Trata-se de um alimento funcional em razão dos seus efeitos benéficos ao organismo, como manter o equilíbrio da microbiota intestinal. O nome kefir tem origem na palavra turca keif, que significa “bem-estar” ou “bem viver”. O kefir era preparado em sacos feitos de couro cru. O leite fermentado era misturado ao leite fresco e, após um período, ocorria um acúmulo de micro-organismos envoltos em proteína e polissacarídeo (carboidrato), formando, eventualmente, os grãos de kefir. Os grãos de kefir são massas gelatinosas brancas ou amareladas parecendo uma couve-flor, medindo entre 3 e 35 mm.

Mas o que torna esses grãos, similares a pedacinhos de couve-flor, tão cobiçados? Uai... Eles são formados por uma mistura específica e complexa de bactérias e leveduras que vivem em uma associação simbiótica. Ao colocá-los dentro do leite, essa massinha gelatinosa é constituída principalmente de água, polissacarídeos, proteínas, entre outros compostos, além de uma microbiota diversa.

Por isso, há quem diga que a bebida é um alimento probiótico. Mas só vale se o kefir tiver pelo menos uma bactéria classificada oficialmente como probiótica, caso contra minha gente... Não saia falando chique sem saber se realmente é chique.

Uma coisa é certa, seu consumo precisa ser incentivado, não que ele vá operar milagres – isso só depende de você. Mas, ao introduzi-lo em na rotina, é óbvio e esperado que aconteça uma mudança mais ampla na alimentação e no seu estilo de vida. Seria muito bom se as famílias aprendessem cultivar os grãos e elas mesmas propciar sabor à bebida. Pra isso é preciso saber como receber, doar em que condição cultivar o kefir etc. Então anote aí:

Normalmente, conseguimos o kefir de água ou kefir de leite. Se você não tem nenhum conhecido que doe, busque em grupos do Facebook. Agora se você está querendo saber como doar o seu kefir, existem 3 maneiras:

A primeira maneira é CONGELADO: Essa opção é para quem pretende guardar os grãos e doar mais pra frente. Então pegue 1 colher de sopa de grãos de kefir, coloque dentro de um saquinho ou copinho com tampa. Adicione um pouquinho de leite, coisa mínima. Leve ao congelador e pronto, depois é só doar congelado e a pessoa que receber a doação deve seguir as instruções de descongelamento. 

A segunda maneira é a COMUM: Essa opção é para quem pretende doar para algum vizinho, amigo ou algum parente próximo. Lembrando que deve ser feita para ser deslocada por pouco tempo hein. Coloque uma colher de sopa de grãos de kefir dentro de um pote ou saquinho, adicione 50 ml de leite integral. Prontinho! Se preferir adicione um pouco de leite em pó, assim ele aguentará uma distância maior.

E por último a terceira opção é ele DESIDRATADO: Bom, para desidratar os grãos você vai ter uma máquina de desidratar doméstica ou se preferir faça uma e depois ensine pra eu colocar aqui no Diário. Pois bem, vamos ao passo a passo. Desidrate 1 colher de sopa de grãos de kefir, coloque dentro de um saquinho com lacre, retire todo o ar, lacre bem. Depois é só colar dentro de uma carta e enviar pelo correio. Essa opção, os grãos de kefir duraram por tempo indeterminado, depois é só reativar.

Alguns grupos de Kefir em redes sociais e até mesmo em alguns sites, como o Probióticos Brasil, se destinam a cadastrar e divulgar contatos de quem deseja receber ou doar o grão.

Concluindo... Assim como nos Anos 90 com aqueles penteados cheios de cabelos armados, cabelos com cores quentes e, que permite brincar com os fios deixando bem divertidos, com uma dose de ousadia peças de roupas, certos gírias e receitas nunca deveriam mesmo sair de moda. 


 
*Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.
 
Relacionadas »
Comentários »