09/12/2020 às 08h00min - Atualizada em 09/12/2020 às 08h00min

Futsal de Uberlândia

ADRIANO SANTOS
Foto: Reprodução Instagram

Olá leitores e amigos, vamos falar de Futsal. Como sabem, o Praia Clube esse mês encerrou sua participação na Liga Nacional de Futsal. Fez bonito em 2020, com novidades e muita bola rolando.

Em 2020, por motivos da Covid-19, a fase de grupos foi totalmente regionalizada, o que ajudou bastante a equipe do Praia a buscar seus feitos. Um elenco modesto, mas que tem Neto e Gustavinho, o destaque da equipe Praiana em 2020.

Na fase de grupo, o Praia perdeu pontos importantes, mas ao passar do tempo o padrão de ataque do professor Morcego funcionou. O Praia ainda insiste, desde a sua categoria de base ao time adulto, em tomar gols de bola parada, quanto tiro de canto, quanto lateral. Praia sofreu com equipes que a marcavam em zona, ou seja, que não se individualizavam no aspecto do 1x1.

No melhor jogo do ano contra a equipe do Umuarama, notamos um Praia totalmente equilibrado. Neto, Flavinho e Gustavinho são peças que fazem a diferença em quadra. Não me surpreendi com o 4x3, afinal o Praia sabia como ganhar a partida e ganhou.

Lembrar a todos que o orçamento do Praia é modesto, não é nem perto do que se gasta no vôlei, por exemplo. A cidade ainda tem nomes que poderão ser usados pelo Praia, como Diego, ex-Minas Tênis, como a meninada de Monte Alegre, que atuaria tranquilamente na proposta de ataque do professor Morcego.

É preciso falar do Neto, que com 39 anos, desarmou 265 vezes em 12 jogos, liderando a estatística da competição, é a referência do melhor do time, que com esses números tem lugar em grandes times do Brasil sim.

É preciso falar do Gustavinho, que incrivelmente foi a revelação dessa equipe. O Gustavo é goleiro conhecido da cidade e foi nas estatísticas da competição o terceiro goleiro que mais fez defesas, 144 no total. Lembro dele nos Jogos Escolares de Minas Gerais, desde novo, muito aplicado, apaixonado pelo que faz e tem também vaga em qualquer um dos grandes times do País.

O Praia precisa de um sub-20, um sub-20 que comece no primeiro ano, e assim a longo prazo forneça jogadores ao adulto. A base praiana é forte, mas precisa de um planejamento eficaz. Não adianta pagar jogadores que vão usar o Praia como trampolim. A cidade de Uberlândia precisa de um time adulto que dê confiança aos torcedores, nada de amadorismo, o Praia tem potencial logístico e estrutural para ser potência.

O Praia ainda lutará pelo bi Estadual, que acontecerá no final do mês, título que seria importantíssimo para uma consolidação de uma hegemonia.

Futsal é apaixonante, em Uberlândia ainda mais. Bora Praia!

*Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.

 

Tags »
Relacionadas »
Comentários »