14/11/2020 às 08h00min - Atualizada em 14/11/2020 às 08h00min

“Matrículas abertas”

IARA BERNARDES
Andando pela cidade, percebemos dezenas de outdoors com a frase “MATRÍCULAS ABERTAS” escrita com letras garrafais. Nessa época do ano começa o período de matrículas e rematrículas das escolas e com isso muitas famílias também se questionam sobre manter os filhos na escola atual ou se arriscar numa nova experiência escolar de seus rebentos. Mas como saber se a escola está atendendo nossas expectativas? Será que compensa mudar de escola? E quando vamos escolher a primeira morada fora de casa para nossos bebês? Muitos fatores contam nessas escolhas: satisfação com os serviços prestados, desempenho da criança, afinidade do seu filho com a metodologia e, no caso dos bem pequenos, higiene, cuidado, atenção, carinho, alimentação e aconchego também devem ser avaliados. Esse ano foi totalmente atípico e não sabemos como será 2021, gerando mais uma preocupação para os pais, mas de maneira geral, os critérios para a escolha são bem parecidos. 

Quando a Maria nasceu, tive 6 meses de licença maternidade em um emprego e 5 meses em outro, por isso, quando ela fez 4 meses já tratei de começar a procurar um ambiente saudável e acolhedor para que ela ficasse segura e tranquila durante meu horário de trabalho. Por falta de experiência não sabia exatamente o que olhar, mas sentia que na hora que encontrasse o lugar ideal, saberia. Foram mais de 10 locais visitados e o escolhido foi um ambiente super gostoso que fica no centro da cidade. Não marquei horário de visita, liguei, me informei se eles tinham um período aberto à visitação e simplesmente cheguei na escola num dia aleatório - incentivo fortemente os pais a fazerem o mesmo, afinal, visita agendada dá margem para que a escola “maquie” ambientes e situações problema afim de conquistar os responsáveis. 

Por isso, vou contar par vocês o que eu observei nesse ambiente escolhido: as pias de banho estavam muito limpas, com solução desinfetante disponível e o local era extremamente limpo e claro. Em todas as outras escolas visitadas, o que presenciei foi sujeira e um cheiro insuportável de xixi em todos os ambientes. Outra coisa que me chamou a atenção é que as monitoras e professoras nunca estavam de sapato no ambiente infantil, isso foi decisivo, afinal, como um funcionário chega da rua, com o sapato imundo e pisa no tapete que o bebê ficará sentado ou deitado? Detalhe é que em todas as outras “escolinhas” foi exatamente o que presenciei. Na eleita, a cozinha era limpa e organizada, a área externa era limpa e clara, reduzindo o risco de animais peçonhentos e o cuidado com a crianças era bem próximo, aconchegante, sem muito barulho ou agitação. Enfim havia encontrado o lugar da minha menina. 

Já no ensino fundamental, os critérios foram mudando, afinal já tínhamos outros filhos, outra rotina estabelecida, logo a logística contava muito, mesmo porque eu precisava de uma escola que tenha educação infantil e fundamental I no período matutino, além disso, pensamos na formação humana e nos valores da escola, isso era realmente importante no momento da escolha. Avaliamos também a distância da nossa casa e se era possível encaixar na rota de ida para o trabalho. Espaço físico contava, mas não era um fator decisivo. Já no primeiro critério, mais de 90% das escolas particulares de Uberlândia foram eliminadas, pois aqui temos muita dificuldade de encontrar instituições que ofereçam essa etapa de ensino de manhã, sendo assim, ficou mais “fácil” escolher.

Esses foram os critérios estabelecidos pela nossa família, mas se puder resumir em tópicos o que devemos levar em consideração diria que você deve observar o que convém aos valores morais, além do tipo de formação escolar que a sua família acha importante: escola tradicional laica, instituição com formação religiosa, método construtivista, bilíngue, ensino integral ou parcial?  Depois desse filtro, verifique o preço da matrícula, material e mensalidades, afinal, não adianta sonhar com a escola, encontrar e não ter como pagar. Avalie a distância e como será a logística, quanto tempo levará para chegar e qual o tempo de preparação em casa para isso, uma vez que atrasos diários podem custar parte da sua sanidade no trânsito. E não deixe para escolher correndo, tenha calma e não desista, você talvez não encontre tudo o que deseja numa escola, mas pode chegar bem perto disso.


*Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.



 
Relacionadas »
Comentários »