20/10/2020 às 08h00min - Atualizada em 20/10/2020 às 08h00min

Rio Branco – o primeiro time

ANTÔNIO PEREIRA
Antes do Rio Branco, houve o União Foot Ball Club – que deu aquele vexame! Organizado por Avenir Gomes e Carmo Prudente, jovens esportistas entusiasmados, arranjou-se dinheiro, comprou-se material e se fizeram os treinos na velha praça da República (Tubal Vilela). Não havia ainda o Grupo Escolar Bueno Brandão, nem o Fórum. Era um largo rodeado de esparsas casinholas. Depois de uns poucos ensaios, os jovens resolveram fazer um jogo entre si; dois combinados armados entre os próprios jogadores. O futebol, nessa época, era esporte da elite, sendo comum haver muitas senhoras e moças à beira do campo torcendo entusiasmadas. O jornal costumava tomar opinião com as senhoritas sobre os jogos, pedindo palpite ou comentário. Eram notas sociais. Pois bem, marcado o jogo, a praça encheu-se de curiosos. Muitas moças doidas para ver as canelas magras e branquelas dos atletas. Na hora marcada, cadê os jogadores? Só apareceram seis uniformizados. Os outros, morrendo de vergonha, recusaram-se a trocar de roupa e acabou-se a inauguração da praça de esportes e dos times. O que se viu foi um bate-boca entre os atletas que, por pouco, não virou pancadaria. Morreu o União à véspera de existir. Era 1909. É o que nos conta Jerônimo Arantes.

Em 1910 houve eleições. A politicagem pegou fogo, avançou por arbitrariedades e desacatos que desaguaram numa verdadeira revolução na praça da Matriz (hoje Cícero Macedo). Só não se falou em futebol.

Em 1911, ou 12, não consegui precisar, recomeçou-se a pensar em futebol. De novo a iniciativa foi do Avenir Gomes, que trabalhava na Agência dos Correios. Reuniu a rapaziada na sede da Banda de Música União Operária e foi criado o primeiro time de verdade: o Rio Branco Foot Ball Club – que não tem nada a ver com o atual time de mesmo nome, nem com a avenida homônima que, na época, se chamava rua da Chapada. A Diretoria ficou assim constituída: Presidente: Adolpho Fonseca e Silva (hoje, nome de praça), Vice-Presidente: Manoel Rodrigues Torres, Tesoureiro: Bernardino Calixto, Secretário: Avenir Gomes e Procurador: Martinho Nascimento. As cores do time eram preto e branco.

Logo apareceram os primeiros atletas (alguns nunca tinham dado uma bicuda na pelota): Nelson Gomides, Ladário Cardoso, Ângelo Petri, Avenir Gomes, Afonso Carneiro, Martinho Nascimento, Mário Castanheira, Adolfo Segadães, Luciano Garcia, Antônio Sapo, João Meirelles, Raulino Cotta Pacheco (pai do governador Rondon Pacheco), José Fonseca, Edmundo Schwindt, Sinfrônio Faria, Jerônimo Xavier, Jessé França, Américo Zardo (nome de praça), Magno dos Santos, Jerônimo Matias dos Santos, Wanderlin Silva, Alceu Marques e outros. Os treinos recomeçaram na mesma praça da República. Mais ou menos treinados, resolveram testar a força e convidaram um time de Araguari para um enfrentamento. No dia do jogo foi aquela festa. A cidade parecia um formigueiro: todo mundo ia para a praça ver a peleja oficial – o primeiro jogo de futebol na velha Uberabinha. E tome Banda! A União Operária sapecou seu repertório de dobrados e maxixes. Foi aquele vexame de novo! Mas, agora, com jogo! Apanhamos de cinco a zero e inauguramos a prática do esporte bretão na cidade!

Isso não esmoreceu a rapaziada. Continuaram treinando e fazendo jogos domésticos: eles contra eles mesmos. Não demorou muito, apareceu outro time: o Spartano, fundado pelo Américo Zardo. Durou pouco esse Spartano. Mas logo surgiu outro: o Comercial Sport Club, fundado por Ladário Cardoso. E mais alguns times que se formavam e duravam poucos meses, ou dias. Por fim, em 1918, surgiu o Uberabinha Sport Club que ninguém sabe até hoje se é o que está aí. Em 1922, houve uma dissidência no time preferido da cidade, a Associação Atlética, e os dissidentes liderados pelo Agenor Bino, fundaram (ou reorganizaram) um novo Uberabinha Sport Club. A Associação Atlética foi fundada pela alta sociedade e pelos grandes políticos locais e fazia seus treinos e jogos num campo que havia na chácara do coronel Virgílio Rodrigues da Cunha, pouco acima de onde é hoje a Vila dos Oficiais do Exército. Não era onde posteriormente foi o estádio criado por Tubal Vilela, em cima do cemitério desativado. Era um pouco para cima. O Uberabinha Sport Club existe desde 1918, ou pouco antes. A sua fundação oficial foi em 1922, por Agenor Bino e Gil Alves dos Santos. Houve apenas uma reunião em 1922 e as outras só aconteceram a partir de 1928. Enquanto isso, o time foi jogando, como vinha fazendo, sem precisar de diretoria. Daí para frente é como todo mundo já sabe. Desses tempos heroicos, sobrou apenas o nosso querido Uberlândia Esporte Clube (ex-Uberabinha).    


*Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.
Relacionadas »
Comentários »