04/07/2020 às 16h36min - Atualizada em 04/07/2020 às 16h36min

Daniel Alves, Felipe Luís e o pós 30

ADRIANO SANTOS
As entidades e federações começaram a erguer o Futebol. Os jogos, as competições, começaram a se organizarem para o futuro da modalidade.

No Campeonato Carioca, a bola está rolando e algo nos chama atenção, a idade e a preparação física dos nossos pós 30.

Ricardo Oliveira é preterido no Santos, com 40 anos, Daniel Alves é o rei do São Paulo com seus incríveis 37 anos, o apagado Fred no Fluminense com seus 36 anos, Nenê no também Fluminense com 38 anos, Felipe Luís, que é atual campeão Brasileiro, Libertadores, Recopa, Super Copa, com 34 anos, igualmente nos títulos e na idade com seu companheiro de equipe Rafinha. Diego Souza, no Grêmio, com 35, Honda, no Botafogo, como contratação de peso e seus 34 anos, Hernanes que não joga no São Paulo e seus 35 anos, e Dê Alessandro com quase 40 anos.

O Time do Fluminense com o empate em Macaé e a derrota para o Volta Redonda mostrou a inerência da péssima gestão física dos seus 11 titulares, 6 acima dos 30 anos.

Qual jogador pós os 30 consegue jogar em alto rendimento nas suas equipes? O Fred não rendeu, antes da pandemia Diego Alves além de não lesionar é a referência física e técnica do São Paulo.

Felipe Luís e Rafinha, inacreditáveis em 2019 e no meio de 2020, fisicamente e tecnicamente implacáveis.

Fiquei imaginando em Santos, com o DNA jovem, um atacante de 40 anos rendendo entre viagens e ritmo de jogo, sim o Ricardo Oliveira. Nene e o Fluminense perdendo seu DNA, não quero um time jovem, mas mesclado. Um Fluminense que entrou em campo no Carioca com 6 acima de 30, 2 abaixo de 18, não tem coerência física e nem mesmo planejamento de crescente pelas competições a frente.

D'Alessandro, o mito do Internacional está absolutamente sem força para continuar, mas quando entra não deixa se quer a motivação cair, D'Alessandro deve parar esse ano, mas não ficará devendo nadinha pela sua entrega ao escudo colorado.

E Diego Sousa que ainda aguenta, no Grêmio com Renato aguenta, mas será que alguém fará como Zé Roberto? Lembra do Zé, ex Palmeiras, com 43 anos jogando em alto nível. Lembra do Seedorf, que com 37 anos terminou sua carreira em altíssimo nível.

Lembrando que Messi com 33 anos, Cristiano Ronaldo com 35 anos, ainda estão devendo alguma coisa? Será que veremos os dois juntos na Juventus? Ou veremos Neymar hoje com 28 aposentando Lionel no Barcelona?
 
 
Paixão Futebol!



Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.


 
Relacionadas »
Comentários »