17/06/2020 às 17h52min - Atualizada em 17/06/2020 às 17h52min

7x1 Ensinou

ADRIANO SANTOS
8 de julho de 2014, válida a primeira semifinal da tão sonhada Copa do Mundo no Brasil. A partida aconteceu nas Minas Gerais, o famoso Mineiraço como ficou conhecida, talvez a data mais vergonhosa do Futebol Brasileiro, um vexame internacional.

A grande Alemanha, rainha do Marketing, vestida de vermelho e preto, o time mais popular do Brasil, liderada por Toni Cross, eleito o melhor jogador do jogo, eram mais de 58 mil pessoas no estádio, perdemos de 7x1.

Tomaz Muller, Klose, Cross e Khedira todos os cinco primeiros gols que o Brasil sofreu, foram nos primeiros 30 minutos de jogo. O inacreditável estava ali, a mistura de preparação Alemã x Teimosia Brasileira, o garoto Oscar descontou para o Brasil.

Imagino que aquele dia, alguém em campo pediu para Alemanha tirar o pé, porque o passeio seria no mínimo 10, 10, 10 x 1.

Uns chamaram de desastre, humilhação ou a noite mais obscura do Futebol Brasileiro, sentimento de choque, o dia a ser esquecido.

A Seleção não era ruim, apenas mal escalada, menosprezo total a equipe e ofensividade alemã, a seleção de Júlio César, Maicon, o pior jogador em campo David Luiz, Dante, Marcelo, Fernandinho, Luiz Gustavo, Oscar, Hulk, inacreditável Bernard e o horripilante Fred, nosso técnico Luiz Felipe Scolari, famoso Felipão.

A derrota teve vários lados positivos. O 1° foi a venda da rede, isso mesmo a rede do jogo, custou 200 mil reais e iniciou um projeto social em Recife, famoso "Goleada do Bem".

Lembro daquele dia, a bizarra explicação, entrevista coletiva, quiseram que acreditássemos num apagão, apagão?

Alemanha foi modelo de gestão, planejamento e disciplina, veio ao Brasil para ser Campeã. Alemanha escolheu a Bahia para montar seu complexo, foi um baita investimento que a mesma bancou a construção, foram 13 casas, 65 quartos, 30 km do Aeroporto de Porto Seguro, um baita centro de Treinamento.

A Alemanha se tornou empatia dos Brasileiros. Ao montar o CT envolveu crianças como projeto social, deixou um legado na pacata vida, aliançou a marca ao Flamengo, nada do compacto 4 - 3 - 3, tudo no Marketing, ações planejadas, tudo, tudo para agradar gregos e troianos.

Tudo foi pensado, desde 2013, isso envolvia parceiros, patrocinadores, a própria adidas envolvendo o Flamengo no material esportivo, a idêntica camisa rubro negra.

Alemanha, Alemanha, nos fez repensar o Futebol. Saudoso 7x1. Ensinou todo um País a buscar P L A N E J A M E N T O.
 
Paixão Futebol



Esta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.


 
Relacionadas »
Comentários »