26/04/2020 às 09h00min - Atualizada em 26/04/2020 às 09h00min

Inteligência artificial e Serviços em nuvem em alta

PAULO SANT'ANNA
Foto: Divulgação

Nós ainda não temos uma ideia clara a respeito do grau de impacto que a pandemia do coronavírus causará no mercado e na economia. Sabemos que o estrago é grande e que tempos de recessão virão, na verdade já vieram, mas o quão fundo é o buraco ainda levaremos um tempo para descobrir. Neste momento investir é quase que impensável, até mesmo devido à desaceleração dos negócios.

No que tange à tecnologia, as área de Inteligência artificial (IA) e Serviços baseados em nuvem (Cloud) já vêm se consolidando devido à necessidade de adaptação das empresas e profissionais de forma a seguirem operando e produzindo, ou seja, mesmo nesse momento de crise, o investimento nessas duas áreas ou já estão sendo feitos ou estão sendo considerados em um breve período, buscando uma redução nos seus custos e consequentemente gerar um aumento de receita.

A maioria das empresas não estava preparada para a Pandemia, realmente estavam desprevenidas, tanto com relação a contingências quanto financeiramente. Pesquisas já mostram que grande parte das empresas vão realizar corte nos gastos relacionados a aquisição de equipamentos e serviços de TI. Com a chegada da pandemia, houve um esforço muito grande das empresas principalmente com relação à aquisição de laptops para a força de trabalho ser migrada para o trabalho remoto em suas casas, com isso serão cortados outros tipos de investimentos neste segmento.

Nuvem e Inteligência artificial (IA) acabaram se destacando como recursos essenciais neste período difícil devido à agilidade de adoção, implantação e contratação. Isso sem duvida vai ser levado em conta neste novo cenário global que está por vir quando isso tudo passar. Com a IA é possível que as empresas ganhem em eficiência através de um aprimoramento na análise de dados e na automatização de processos.

Serviços em nuvem são baseados em assinatura e podem proporcionar agilidade às empresas pois podem basear suas operações construindo sua infraestrutura de servidores, serviços e sistemas de uma forma escalável, rápida e que pode ser elástica, aumentando ou diminuindo de acordo com a sua demanda. Saem as preocupações com relação a construir um datacenter, comprar servidores, custos com energia, segurança física entre outras questões. Com uma orquestração especializada uma empresa disponibiliza rapidamente um novo sistema ou um novo ambiente para seus clientes. Imaginem neste momento de isolamento ter que deslocar um profissional para trocar um disco queimado em um servidor por exemplo.

Muitas empresas que ainda planejavam aderir à IA ou a Nuvem já direcionaram seus esforços e investimentos para essas duas áreas. Novos tempos virão. Ou melhor já chegaram. Nós profissionais de TI temos um desafio grande pela frente.
Até a próxima coluna!

*O conteúdo desta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.


















 

Relacionadas »
Comentários »