04/04/2020 às 08h30min - Atualizada em 04/04/2020 às 08h30min

Fazer exercícios melhora ou piora as nossas defesas?

ANGELA SENA PRIULI
Pergunta que se no momento, não é? se entregar ao sofá ou se movimentar na quarentena, eis a questão. Vou te contar a história então. Nas últimas quatro décadas, muitos estudos investigaram como o exercício afeta o sistema imunológico. É amplamente aceito que o exercício regular de intensidade moderada é benéfico para a imunidade, mas uma opinião defendida por alguns cientistas é que exercícios mais árduos podem suprimir a função imunológica, levando a uma "janela de risco" aumentado de infecção nas horas e dias após o exercício. Será? Em um estudo de contraponto publicado em 2018, essa hipótese de "janela de risco" foi contestada pelos médicos Dr. Campbell e Dr. Turner, uns dos principais fisiologistas dessa área, do Departamento de Saúde da Universidade de Bath, na Inglaterra. Eles relataram em um artigo de revisão que a teoria não era bem apoiada por evidências científicas, resumindo que existem evidências confiáveis ​​limitadas de que o exercício suprime a imunidade, concluindo que o exercício é benéfico para a função imune.

Eles dizem que, a curto prazo, o exercício pode ajudar o sistema imunológico a encontrar e lidar com os patógenos que invadem nosso corpo e, a longo prazo, o exercício regular retarda as mudanças que ocorrem no sistema imunológico com o envelhecimento, reduzindo, portanto, o risco de infecções.

Em um novo artigo, publicado este mês na revista internacional Exercise Immunology Review, os especialistas citados Turner e Campbell e colaboradores debateram se o sistema imunológico pode mudar de maneira negativa ou positiva após o exercício e se os atletas sofrem ou não mais infecções do que a população em geral. O artigo conclui que é mais provável que as infecções estejam ligadas a dieta inadequada, estresse psicológico, sono insuficiente, viagens e, o que é mais importante, exposição a patógenos em eventos de aglomeração social como maratonas - ao invés do ato de se exercitar.

Mensagem importante: estar isolado sem acesso a academias e clubes esportivos não deve significar que as pessoas parem de se exercitar, de acordo com um novo estudo de pesquisadores da Universidade de Bath. Manter exercícios regulares e diários em um momento em que grande parte do mundo está se isolando desempenhará um papel importante para ajudar a manter um sistema imunológico saudável. O Dr. James Turner, do Departamento de Saúde da Universidade de Bath, explica: "Nosso trabalho concluiu que há evidências muito limitadas de exercícios, aumentando diretamente o risco de serem infectados por vírus. No contexto do coronavírus e das condições em que nos encontramos hoje, a consideração mais importante é reduzir a exposição de outras pessoas que podem estar portando o vírus, mas as pessoas não devem ignorar a importância de permanecer em forma, ativa e saudável durante esse período, desde que seja realizada isoladamente - longe de outras pessoas - então o exercício diário regular ajudará a manter melhor o funcionamento do sistema imunológico - não o suprimirá".

Recomenda-se exercícios aeróbicos regulares de intensidade moderada, como caminhar, correr ou andar de bicicleta, com o objetivo de atingir 150 minutos por semana. Exercícios mais longos e mais vigorosos não seriam prejudiciais, mas se a capacidade de se exercitar for restrita devido a uma condição de saúde ou incapacidade, a ordem é: 'um pouquinho é melhor que nada'. Devemos lembrar que o exercício também tem benefícios claros para a manutenção dos músculos, o que também ajuda no movimento.

Neste momento atual, em particular, os pesquisadores enfatizam a importância de manter uma boa higiene pessoal durante o exercício, incluindo lavar bem as mãos após o exercício. Para dar ao corpo a melhor chance de combater infecções, eles sugerem que, além de fazer exercícios regularmente, as pessoas precisam prestar atenção à quantidade de sono que dormem e manter uma dieta saudável, que deve ser equilibrada para compensar a energia usada durante o exercício. 

Vamos nos conscientizar do momento presente, do dia de hoje, sem nos preocupar muito com o que irá acontecer amanhã porque o hoje já nos deu um leão para enfrentar. Então um leão por vez, cuidado e resiliência farão parte de suas armas. Fiquem em casa, mas continuem ativos em todos os sentidos possíveis!

Fonte: Richard J Simpson et al. Can Exercise Affect Immune Function to Increase Susceptibility to Infection? Exerc Immunol Rev, 2020


*Esta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.





 
Relacionadas »
Comentários »