03/04/2020 às 08h00min - Atualizada em 03/04/2020 às 08h00min

Uberlandenses e os seus campeonatos

ALBERTO GOMIDE
Os principais campeonatos disputados por clubes de Uberlândia são a Superliga Feminina de Vôlei (CBV), com o Dentil/Praia Clube; o Uberlândia Esporte Clube, no Campeonato Mineiro – Divisão Especial (FMF), e o Uberlândia Vôlei (CBV), na Superliga B. A exemplo de todos os eventos esportivos pelo Brasil e pelo mundo, foram encerrados como estavam e outros suspensos até definição da grave situação mundial com a Covid-19. 

A Superliga Feminina 2019/2020 não terá um campeão. A Confederação Brasileira de Voleibol se reuniu por videoconferência com as oito equipes que se classificaram para os playoffs. Seis clubes e a comissão de atletas votaram pelo fim do campeonato e dois foram contrários. Neste caso, não há campeão e o resultado respeita a classificação final do momento. Assim, a temporada 2019/2020 termina desta forma: Dentil/Praia Clube (MG), Sesc RJ, Itambé/Minas (MG), Sesi Vôlei Bauru (SP), Osasco Audax São Cristóvão Saúde (SP), São Paulo/Barueri (SP), Fluminense (RJ), Curitiba (PR), Pinheiros (SP), Flamengo (RJ), Valinhos Vôlei (SP) e São Cristóvão Saúde/São Caetano (SP).

A Federação Mineira de Futebol suspendeu o Campeonato Mineiro por tempo indeterminado. A medida foi tomada tão logo a entidade não teve mais condições dar continuidade ao torneio. Se vai ter continuidade, só o tempo dirá. Caso a situação persista por longo tempo, a federação pode também encerrar o campeonato na posição em que se encontra, quando foi suspenso. A classificação atual é a seguinte: América com 21, Tombense com 20, Atlético com 18, Caldense com 17, Cruzeiro com 14, Patrocinense com 12, Uberlândia e URT com 11, Boa com 8, Coimbra com 7, Villa Nova com 4 e o Tupynambás com 3 pontos. São 11 rodadas e já foram realizadas 9. Ao UEC restam portanto duas partidas: no Parque do Sabiá, contra o Villa Nova, e em Tombos, contra o Tombense. O Verdão começou muito mal no campeonato, trocou de técnico, fez algumas contratações e o time cresceu acentuadamente na competição. Como fugiu do fantasma do rebaixamento, agora chega a pensar numa vaga para a Série D do Campeonato Brasileiro. 

Na Superliga B Masculina, a Confederação Brasileira de Voleibol se reuniu com os clubes e optaram pelo fim da competição. Dos oito times que jogaram o campeonato, cinco foram a favor e três contra a decisão. Como a equipe uberlandense (Uberlândia Vôlei) terminou a primeira fase do torneio na segunda colocação, conseguiu o acesso direto, juntamente com o Vedacit/Vôlei Garulhos, para a Superliga Masculina da divisão especial. 

BASQUETE DA CBB SERÁ REPENSADO 
Não vai ser agora, como estava previsto, mas vai acontecer. A Confederação Brasileira de Basquete deu o primeiro passo para realizar um novo Campeonato Brasileiro, torneio que chega a sua segunda edição e que no próximo ano substitui a Liga Ouro. O Brasileirão tinha início previsto para fevereiro de 2020, mas a Covid-19 mudou tudo e impediu o começo do campeonato. A proposta é: “O Campeonato Brasileiro coloca mais clubes para jogar em todo o país, vai ser para agregar e para dar oportunidade e emprego para mais atletas no Brasil. Quanto mais basquete tivermos, melhor. Teremos mais oportunidades para revelar jogadores para nossas seleções e de popularizar o esporte. Ampliar o número de equipes jogando no adulto era uma promessa de campanha e estamos cumprindo”, disse o presidente da CBB, Guy Peixoto. O que foi discutido e acertado na sede da Confederação, no Riocentro, pode mudar quando for programar novamente a competição. Quinze clubes estiveram na conversa. Desses, 11 ficaram confirmados, sendo quatro do Paraná, quatro de Santa Catarina, um de Minas Gerais, um de Goiás e um do Distrito Federal. Flamengo e Pinheiros participaram do Congresso Técnico e podem confirmar a participação na disputa, assim como o Liga Nordeste-BA e Osasco-SP. O Tatuí, de São Paulo, também demonstrou interesse, mas não participou do congresso. Com certeza, tudo será discutido novamente. Naquela oportunidade ficaram confirmados: Maringá-PR, Ponta Grossa-PR, São José dos Pinhais-PR, Campo Mourão-PR, Blackstar-SC, Joinville-SC, Brusque-SC, Blumenau-SC, Praia Clube-MG, Anápolis-GO e Cerrado-DF. Esse número já significa um aumento no número de participantes e de partidas. A primeira edição do Brasileirão, em 2019, teve oito equipes. O Praia Clube de Uberlândia foi um dos clubes que confirmou participação durante a reunião no Rio de Janeiro. Como a Covid-19 certamente deixará profundas marcas na economia mundial, o esporte brasileiro vai repensar seu calendário em todos os níveis e este campeonato também passará por uma revisão entre a entidade promotora e os clubes participantes.


*Esta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.












 
Relacionadas »
Comentários »