19/03/2020 às 08h00min - Atualizada em 19/03/2020 às 08h00min

Fã de quem?

Luiz Olímpio, jornalista
Você já falou ou ouviu alguém dizer “sou fã” desse ator, cantor, cantora, jogador de futebol e etc? Pois então seja bem-vindo ao dia do fã, comemorado ontem, 18 de março. A expressão sou fã é utilizada há muitos e muitos anos, por pessoas que não só gostam, mas amam e dedicam muito da própria vida a essas celebridades. Como surgiu a data eu não sei, o que se encontra na internet é um conteúdo lúdico sobre o universo de fã. O que importa mesmo é o amor e quando falamos de amor, é real e verdadeiro. Vou falar em especial aos fãs de artistas relacionados a música e no final desse texto você vai entender o motivo. 

Nem sempre escolhemos de quem gostar, não existe uma regra para ser fã. As emoções falam mais alto e quando a gente vê, já estamos indo atrás, comprando CDs, DVDs, ou qualquer outro produto que tal pessoa famosa aparece vendendo, seguindo nas redes sociais e plataformas de streaming, comprando ingresso para os shows, deixando de sair porque vai passar em algum programa de TV, pedindo música em rádio e por aí vai.

Com o passar dos anos, a palavra fã começou a ganhar outros termos, como por exemplo, fandon, fanfic, fã-clube e por aí vai, vou explicar um pouco melhor isso.

Fandom: Em português significa fã-clube, os fãs utilizam essa palavra para “generalizar” todos os fãs de determinado artista. “O fandom fechou parceria com outro fandom para votar em alguma premiação”.

Fanfic: a expressão vem do inglês fanfiction, ou seja, os fãs criam uma ficção para um cantor, cantora. Escrevem histórias partindo do princípio da admiração, contendo personagens, roteiros, em quadrinhos e muito mais, posso dizer a você, existem muitas fanfics por aí que vai do romântico a assuntos pra lá de ousados.

Fã-clube: Geralmente esse termo é para denominar um grupo de pessoas que tem gosto em comum com determinado artista. Aí cada FC cria o próprio nome, redes sociais para homenagear, divulgar o trabalho, organizar viagens e até mesmo realizar ações sociais em prol de asilos, escolas e trabalhos voluntários, sempre levando o nome do artista de quem são fãs. É ou não é admirável?

Os fãs estão por toda parte, em todos os países e todos os artistas têm fã, sejam poucos ou milhares. E boa parte tem momentos e histórias bonitas, trágicas ou até mesmo de superação. Sim, pessoas que passam por algum problema pessoal ou profissional e encontram no ídolo a força para continuar vivendo. E sempre tem aquela pessoa na família, na escola, no trabalho que vai julgar um fã e dizer: “Ele (a) nem sabe que você existe”. Mas esse julgamento não tem a menor importância. A partir do momento que existe amor, é o importante.  Dê o play em uma música e siga em frente, julgamentos sempre vão existir.

Lembrando a você, no início desse texto, eu disse que contaria o motivo pelo qual eu o escrevi. Eu sou fã de uma cantora maravilhosa há muitos anos (não vou dizer o nome, para aguçar a sua curiosidade), além disso, trabalho em um escritório de música na parte de comunicação e relacionamento de fãs. Para o artista conquistar pessoas através da melodia, de apresentações e aparições é mágico. Todo cantor ou cantora não deve esquecer que ter um fã é valiosíssimo, uma verdadeira joia em processo de lapidação e reconhecer a dedicação, tentando retribuir da melhor maneira possível com respeito e carinho.
 
Agradeço pela leitura, feliz dia do fã pra nós!


*Esta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.








 
Relacionadas »
Comentários »