18/04/2017 às 09h27min - Atualizada em 18/04/2017 às 09h27min

COLUNA BOLA EM JOGO

Os dois empates

A fase semifinal do campeonato mineiro do Módulo I começou domingo último com dois empates sendo registrados, ambos pelo placar de 1 x 1. A URT “mandou” seu jogo contra o Atlético no Mineirão, às 11h, e conseguiu o resultado que o próprio time celeste patense não acreditava que pudesse acontecer. O Atlético começou jogando com boa velocidade, envolvendo a URT e esteve perto de abrir o marcador, mas não abriu. O tempo foi passando e o time do Galo foi brincando de jogar. Comportava-se como se estivesse fazendo um jogo-treino, chegando a tocar a bola em curtos espaços na sua própria área. A URT, que começou preocupada em não perder de muito e com excessiva preocupação defensiva, passou a sair para jogar. No segundo tempo a URT chegou a ser melhor que o Galo e este foi piorando, inclusive sem poder de marcação. Só marcavam o volante Rafael Carioca e os quatro da primeira linha defensiva. Por isto o empate foi justo. Acredito que para o segundo jogo o Atlético vá jogar com mais empenho e deve ganhar sem problemas, mesmo a URT tendo alguns bons valores. Já no jogo das 16h, no Independência, Cruzeiro e América tiveram posturas muito parecidas. Um time atacando e o outro se defendendo com todos os seus jogadores na sua metade defensiva do campo. Ao contrário era a mesma coisa. Dentro desta característica o América foi melhor e mereceu ganhar. Seus atacantes concluíram mal duas jogadas de gol, de dentro da área cruzeirense, e no finalzinho do jogo o goleiro Rafael fez excelente defesa, com a mão trocada, em chute venenoso do volante Gustavo Blanco. Para o próximo jogo o América terá que ser mais incisivo pra ganhar, pois um novo empate dá a vaga da final para o Cruzeiro. Com isto o jogo vai ser ainda melhor e não tem favorito.

A decisão inadiável

A diretoria do Uberlândia Esporte se reúne em todas as segundas-feiras, no começo da noite. Ontem teve mais uma reunião e a expectativa sobre ela era e é grande. Como já escrevi na coluna anterior, a atual diretoria, que ainda tem sete meses e meio de mandato, não pode deixar de resolver os principais assuntos relativos ao Departamento de Futebol Profissional para a temporada de 2018, quando o Uberlândia disputará os campeonatos mineiro e Brasileiro da Série D. Eu e os torcedores mais ligados do Periquito esperamos ler ou ouvir hoje alguma notícia positiva. A meu ver a principal seria a manutenção do Diretor de Futebol, Fabrício Tavares, e a autorização, dentro dos limites orçamentários do Uberlândia Esporte, para renovar contratos de jogadores. Estes, em seguida, seriam emprestados para outras agremiações, mas o clube alviverde tem que se prevenir para o fato de um ou outro não ser emprestado e ter que pagar o custo deles. A partir daí, Fabricio trataria também de acertar a continuidade do técnico Paulo Cezar Catanoce, que seria uma boa, é claro que fazendo ajustes de gestão do elenco e do time entre Fabrício e Catanoce, ou já começando a cuidar de viabilizar a contratação de outro técnico, em não acertando com Catanoce. O mais importante é que cabe á diretoria atual cuidar, até o seu limite, de manter o Departamento de Futebol funcionado bem e mantendo a base possível de jogadores para 2018.

Cidadão honorário

A Câmara Municipal de Uberlândia conferiu ontem o título de cidadão honorário do município ao técnico Paulo Cezar Catanoce. A iniciativa foi do vereador Vilmar Rezende, que está de parabéns, junto com os seus pares. Catanoce merece. Não fui convidado. Mesmo assim tinha me preparado para ir à sessão especial à noite, como foram as em que recebi o mesmo título e outras especiais. Só que aconteceu dentro da sessão ordinária, pela manhã. Aí não me permitiram – e acredito que a muitos outros- ir lá aplaudir Catanoce e Vilmar Rezende. Aplaudo daqui, desse minifúndio de papel. 

Relacionadas »
Comentários »