17/04/2017 às 08h29min - Atualizada em 17/04/2017 às 08h29min

COLUNA BOLA EM JOGO

Jogos bem diferentes

O principal campeonato mineiro de futebol vai começar a ser decidido amanhã, domingo de Páscoa, com dois jogos em Belo Horizonte: às 11h, no Mineirão, com “mando” da URT, URT x Atlético e às 16h, no Independência, América x Cruzeiro. São os jogos da primeira rodada, de duas, da fase semifinal. Teoricamente, Atlético e Cruzeiro são favoritos. Tecnicamente, os dois times são superiores a URT e América. Os jogos, entretanto, são bem diferentes. O Atlético deve confirmar o seu favoritismo sem maiores problemas, mesmo que o time da Celeste patense seja voluntarioso e tenha alguns jogadores de qualidade, mas o presidente da URT cometeu o pecado da indignidade desportiva ao decidir fazer de conta que mantem o mando de campo indo jogar no Mineirão. É entregar na bandeja, como a cabeça de João Batista. Do ponto de vista da moral desportiva não há justificativa para tal decisão, que busca mais dinheiros, como Judas. Ora, isto é uma desmoralização, que, sem dúvida afeta os jogadores e a Comissão Técnica e os desmotiva. A Federação Mineira de Futebol também é corresponsável por isto, pois colocou no regulamento que a ela pertence os mandos nas fases semifinal e final. A primeira opção da URT era jogar no Estádio Bernardo Rubinger, do Mamoré, em Patos de Minas. Aí a Federação se agarrou no fato do Mamoré não ter renovado os laudos e depois também desaprovou a qualidade do gramado. Ora, se a ela cabe definir os mandos, e sabendo da falta de profissionalismo dos dirigentes da maioria dos clubes, deveria ter agido para que o gramado recebesse boa manutenção e que os novos laudos fossem feitos. Só que a FMF, lamentavelmente, não pensa assim e aí teremos aqui em Minas mais um show de humor negro, assim como foi o Linense mandar seu jogo de quartas de final do Paulistão no Morumbi, estádio do seu adversário, o São Paulo.  Diante disto, a semifinal entre Atlético x URT é só proforma, para constar dos anais de que os jogos foram realizados.

América x Cruzeiro

Esse jogo é um clássico do futebol mineiro, um grande clássico, que envolve longa tradição, intensa rivalidade, o que influencia bastante o ambiente do jogo. Comissões técnicas e jogadores de América e de Cruzeiro irão a campo mais tensos, com cobrança muito maior que em outros jogos. E a arbitragem também. Tanto que o América solicitou que a Federação Mineira de Futebol providencie trio de arbitragem de outro Estado, lembrando que no jogo da primeira fase, que teve vitória cruzeirense por 1 a 0, o árbitro mineiro, Cleisson Veloso Pereira, deu pênalti em Rafael Sobis, do zagueiro Rafael Lima, que um árbitro neutro não daria. E o lance decidiu o jogo. Com isto, se a FMF não tiver atendido ao América (escrevi a coluna com antecedência), o trio de arbitragem mineiro que for escalado já começará o jogo muito pressionado pelos dois times e o clima já será mais tenso ainda desde o começo. Por isto, mesmo o Cruzeiro tendo a mesma base de time de uns dois anos para cá e o América ainda estar trabalhando para acabar de formar um time bom para a temporada deste ano, o favoritismo técnico cruzeirense pode não se confirmar em campo.

Manter jogadores

O Diretor de Futebol do Uberlândia, Fabrício Tavares, gostaria de manter grande parte dos principais jogadores do time que disputou o campeonato e que têm contratos até o final deste mês no clube. Ele está pensando na temporada de 2018 e está absolutamente certo. Só que o presidente Guto Braga tem que autorizar e a informação é de que Guto só iria se reunir com Fabrício em maio. Se for assim, jogadores importantes serão perdidos. É importante que Guto defina o assunto já. Se for o caso, já que está em fim de mandato, que busque o apoio do Conselho Deliberativo, mas Fabrício precisa ser reconhecido e prestigiado.

 

Relacionadas »
Comentários »