06/03/2020 às 08h30min - Atualizada em 06/03/2020 às 08h30min

O ser mulher

CELSO MACHADO

Como todo homem gostaria muito de entendê-las. De compreender sua lógica de raciocínio, seu comportamento, quando e porquê mudam de humor.  Suas ideias, pensamentos e motivações. Todas as vezes que tentei isso quase sempre me equivoquei. Teve um período em que pensei que nem elas mesmo compreendem como agem e porquê agem, o que tornaria meu propósito inviável.

Foi outro equívoco. O que as torna imprevisíveis é que a cada momento elas sentem, pensam e reagem movidas por sentimentos, por razões, por emoções. São conduzidas pela intuição, pela paixão. Por isso são únicas e singulares, racionais e intuitivas. São o que são e o oposto do que são simultaneamente. Firmes em suas posições e opiniões que podem mudar rapidamente sem que nós, meros seres masculinos, consigamos ter a menor noção de como e porquê acontece toda essa grande e veloz transformação.

Contraditórias, são enigmáticas. Suas palavras nem sempre conseguem traduzir seus pensamentos. Dizem que se vestem para nós, seus maridos, namorados, mas nossa opinião no ranking das avaliações está bem abaixo de outras. Principalmente das amigas e colegas.

Muitas se consideram ingênuas, mas possuem uma capacidade de visão e um olhar que penetra fundo, descobrindo coisas que nós homens não percebemos, nem estamos atentos para notar. O que nos passa desapercebido elas registram com riqueza e profundidade de detalhes.

Ao mesmo tempo que enxergam tão profundamente, quando estão tocadas por um encanto maior não conseguem ver sem que seja sobre a visão desse outro olhar. E quantas vezes isso as leva a agir, sem observar como e de que forma estão sendo influenciadas, conduzidas. Induzidas.

Fortes, mesmo muitas vezes em aparências frágeis são guerreiras, corajosas que enfrentam qualquer parada para lutar por seus amores, seus direitos, seus objetivos. Belas, formosas, charmosas nascem com a magia do feitiço que fascina e encanta. Que nos torna ainda mais bobos do que somos. Têm uma capacidade fantástica de nos iludir, nos atribuindo um poder que nunca exercemos, conduzidos que somos por um comando sedutor que tudo consegue da gente.

Com elas a gente nunca deve brigar, muito menos vencer. Apanhar sempre, se possível sorrindo. Alma feminina não é lugar que o ser masculino possa querer comandar, como muitas vezes faz com os negócios, instituições, entidades. Quanto melhor a conhecemos, mais descobrimos que a cada dia estamos mais longe de saber como são. De compreender suas ações e reações.

Imprevisíveis, estão sempre mudando. Conquistá-las é a maior ilusão. A mulher nunca é assim, está assim. Assim de um jeito, que pode mudar instantaneamente para outro jeito. Parecido ou completamente diferente. Quando vemos a aparência, estamos longe de identificar o que está passando com elas por dentro.

Indecifráveis, encantadoras, por vezes cruéis. O ser mulher, já dizia o poeta Vinicius de Moraes, não é para homem entender. Apenas para amar.

E que bom que seja assim!

*O conteúdo desta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.













 

Tags »
Relacionadas »
Comentários »