16/02/2020 às 08h00min - Atualizada em 16/02/2020 às 08h00min

Os bichinhos de estimação realmente ajudam acalmar as crianças?

ANGELA SENA PRIULI
Foto: Pixabay

Bem, essa semana trago algo que vivi em casa: tenho um filho de 5 anos e acabamos de nos mudar de cidade. Como qualquer um de nós, ele está naquela fase de adaptação chata, mas ele ainda não compreende várias coisas que adultos tiram de letra, então é mais dolorido e por isso estamos fazendo de tudo para que se sinta acolhido em seu novo lar. A volta às aulas então foi de cortar o coração, pois ele sente muito a falta dos amigos, da escolinha, de pertencer e ser amado... então me disse que estava muito triste e eu, imagine, quase morri!

Eis que algo virou a chave: decidimos dar um novo bichinho de estimação, uma calopsita, dessas aves que são cachorrinhos de penas de tão inteligentes e domesticadas, sabe? Então, tudo mudou! Ele ficou tão feliz, que está enfrentando as dificuldades, até mesmo de conhecer novas pessoas e fazer amiguinhos, com mais segurança e leveza. Esse é um "relato de caso" no mundo da ciência, mas existem estudos científicos que mostram com dados estatísticos que os bichinhos são um tratamento para nossos pequenos. Confira abaixo!
 
Os cães, que já demonstraram reduzir as taxas de alergias e asma, podem proporcionar às crianças mais um benefício: reduzir a ansiedade. Os pesquisadores dizem que um estudo mostra que crianças que vivem em uma casa com um cão de estimação têm uma pontuação muito menor em medidas clínicas de ansiedade. Em 2015, foi realizado um estudo, com foco em 643 crianças entre 6 e 7 anos. A equipe do Bassett Medical Center em Nova York, liderada pela pesquisadora Anne Gadomski, descobriu e publicou na revista Preventing Chronic Disease que apenas 12% das crianças com cães de estimação tiveram resultados positivos para ansiedade clínica, em comparação com 21% das crianças sem cachorro.

A equipe de Gadomski investigou por que os cães, particularmente, podem beneficiar as crianças. Do ponto de vista da saúde mental, crianças de 7 a 8 anos geralmente classificam os animais de estimação como melhores provedores de conforto e autoestima e até como confidentes, quando comparados aos humanos. A terapia assistida por animais como cães afeta a saúde mental e os distúrbios do desenvolvimento das crianças, reduzindo a ansiedade e a excitação.

Os pesquisadores também pediram aos pais detalhes específicos sobre que tipo de ansiedade uma criança demonstrava e como ter os animais de estimação parecia influenciar no comportamento deles. Os pequenos peludos pareciam ajudar em várias áreas: foram encontradas diferenças significativas entre os grupos de crianças para o componente de ansiedade de separação ('meu filho tem medo de ficar sozinho em casa') e o componente de ansiedade social ('meu filho é tímido'), favorecendo a posse de animais de estimação. Existem várias teorias sobre os benefícios: um cachorro pode estimular a conversa, um efeito de quebra de gelo, que pode aliviar a ansiedade por meio de um efeito catalisador social; outros estudos também mostraram que brincar ou abraçar um cachorro pode liberar o hormônio da ligação ocitocina e diminuir o cortisol, o hormônio do estresse.

A maioria das famílias no estudo - 73% - tinha algum tipo de animal de estimação, das quais 58% tinham cães. No entanto, Gadomski observou que sua equipe analisou os cães porque já há muita pesquisa sobre eles, mas comentou que isso não significa que os gatos, por exemplo, não possam ter o mesmo efeito sobre os donos.

Tá bem, já imaginávamos isso... não é uma descoberta totalmente surpreendente, mas agora temos "provas" para argumentar quando quisermos adotar um bichinho e alguém de casa não quiser, hehehe. Aliás, para ampliar seus argumentos, os cães de estimação também podem beneficiar adultos e as autoridades de saúde recomendam que os adultos considerem ter um pet. Eles ainda podem incentivar as pessoas a se exercitarem, já que precisamos dar a sagrada passeadinha em algum momento do dia.
O fato é que estar em contato com animais, com a natureza, e consequentemente, viver mais o presente, beneficia os filhos e os pais e a relação entre eles. Eu mesma já estou tratando de me comunicar mais com os pássaros para participar ainda mais da alegria do meu filhote humano!

Mais ciência e amor, por favor!
 
Fonte:
Gadomski AM, Scribani MB, Krupa N, Jenkins P, Nagykaldi Z, Olson AL. Pet Dogs and Children’s Health: Opportunities for Chronic Disease Prevention? Prev Chronic Dis 2015;12:150204


*O conteúdo desta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.












 

Tags »
Relacionadas »
Comentários »