18/10/2019 às 08h52min - Atualizada em 18/10/2019 às 08h52min

Escola de empreendedores

MARIANA SEGALA

A região do Triângulo Mineiro agora tem uma representação do Founder Institute, uma aceleradora de startups em estágio de ideação. Criado há dez anos na Califórnia, o instituto tem como missão “globalizar o Vale do Silício”, proporcionando treinamento em empreendedorismo ao redor do mundo. Aqui, estão à frente da iniciativa algumas figuras carimbadas do ecossistema de inovação: Ferdinando Kun, Karla Silva, Igor Castro Fernandes e Daniel Marigliano. Na prática, o Founder Institute oferece um programa de quatro meses para auxiliar novos empreendedores – muitos deles ainda trabalhando como empregados em outras empresas ou sem uma noção clara sobre um possível novo negócio – a tirar uma ideia do papel. Desde 2009, o instituto ajudou a lançar mais de 4 mil startups em 180 cidades do mundo, mobilizando algo em torno de 14 mil mentores.
 
ESPRESSO X SANKHYA
Startup focada em gestão de despesas corporativas, a Espresso firmou parceria com a Sankhya para oferecer a sua ferramenta aos clientes da empresa, especializada em sistemas de gestão (conhecidos pela sigla ERP). A proposta da Espresso é automatizar o processo de prestação de contas de despesas corporativas (como as realizadas durante uma viagem a trabalho, por exemplo), permitindo que o funcionário informe cada gasto no exato momento em que ele acontece. Relatórios inteiros são gerados em segundos pela plataforma, dando agilidade aos departamentos financeiros das empresas para analisar, auditar e aprovar os reembolsos. Agora, os clientes da Sankhya poderão usar a ferramenta para lançar esse tipo de despesa, com a vantagem de que as informações serão direcionadas automaticamente para o ERP da empresa. “Aplicamos muita tecnologia e focamos todos nossos esforços para que nossos clientes tenham a melhor experiência possível, com praticidade e segurança”, diz Guilherme Costantin Tangari, CEO da Espresso.
 
MENTORIA PARA MULHERES
Com o objetivo de aumentar a presença feminina em cargos executivos para 40% até 2021, a Algar Tech criou um programa de mentoria específico para mulheres. Dez colaboradoras foram selecionadas por meio de um processo às cegas. Duplas delas estão sendo mentoradas por outras cinco mulheres que passaram por formação específica estruturada pela área de Gente. Mentoras e mentoradas se encontram mensalmente, durante um ano, com o objetivo de desenvolver as habilidades necessárias para que avancem na carreira. Os temas tratados são voltados tanto para o empoderamento feminino quanto para questões estratégicas e de negócio. “O maior ganho é termos cada vez mais mulheres competindo, de igual para igual, com os homens às vagas que os homens poderiam ter alguma vantagem”, afirma o diretor de Gente da companhia, Júlio César Emmert.
 
INOVAÇÃO SOCIAL
O primeiro mapeamento de ações de impacto de Uberlândia identificou 72 iniciativas na cidade – algumas são empresas, outras são ONGs e há ainda projetos não formalizados. A maioria delas (48%) tem o meio ambiente como causa, seguidas pelas iniciativas de educação (17%), saúde (11%) e promoção das diferenças (9%). Quem toca essas iniciativas são, na maior parte dos casos, apenas voluntários – é o caso de 54% delas. O mapeamento foi realizado pelo coletivo Impulso, que entende inovação social como soluções novas para problemas ambientais ou sociais que sejam mais efetivas, eficientes ou justas do que as já existentes, em benefício da sociedade como um todo (e não de indivíduos específicos).
 
DIVERSIDADE E INCLUSÃO
Por falar em diversidade na alta gestão, vale a pena lembrar que hoje começa o Startup Weekend Uberlândia Diversidade & Inclusão. O evento procura estimular entusiastas do empreendedorismo em tecnologia a pensarem em negócios voltados para minorias sociais. Ainda é possível se inscrever neste link: http://bit.ly/swudiversidadeinclusao

*O conteúdo desta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.





 

Tags »
Relacionadas »
Comentários »