07/09/2019 às 14h30min - Atualizada em 07/09/2019 às 14h30min

O sistema operacional Linux

PAULO SANT'ANNA

Você já ouviu falar no sistema operacional chamado Linux? Para os leitores que atuam na área de Tecnologia pode soar estranho, mas por incrível que parece, em pleno 2019, a grande maioria das pessoas e usuários de computadores acredita ser o sistema Windows a única opção disponível e sequer conhece o Linux, sendo considerado praticamente um padrão. Realmente o Windows é o sistema operacional mais utilizado no mundo no ambiente doméstico, mas existem outros que devem ser considerados, como o Mac OS, específico para computadores da plataforma Apple e também o Linux, tema desta coluna.

Mas o que é o Linux?

Linux é o núcleo do Sistema operacional, criado em 1991 pelo estudante finlandês Linux Torvalds, sendo baseado no sistema Unix, que era voltado para grandes ambientes e plataformas. O sistema é baseado em software livre, sendo uma excelente alternativa tanto para o ambiente doméstico quanto para o mundo corporativo, onde o sistema já é mais do que consolidado.

Conhecido por ser um sistema seguro é amplamente utilizado nas empresas principalmente nos servidores voltados à proteção e segurança de ambientes corporativos. Grande parte dos servidores web da internet, onde são executados os sites, também são baseados em Linux.

Por ser aberto, as empresas e desenvolvedores criam as chamadas distribuições incluindo, sempre o núcleo (kernel) Linux, um sistema de gestão de pacotes e os programas. Muitos acabam se confundindo, por existirem várias “versões” do Linux, quando na verdade são sistemas customizados para servidores, computadores ou até mesmo para situações específicas.

Dentre as distribuições mais conhecidas para computadores e ambientes domésticos estão o Ubuntu, Mint e Deepin. Para servidores as mais utilizadas são Debian, Cent OS, Slackware e também as comercias Red Hat e SUSE.

Adesão ao sistema
Antigamente a adesão ao sistema era muito custosa devido ao fato de o mesmo não ter sido desenvolvido, inicialmente com interfaces amigáveis e intuitivas para o usuário final. O Linux era considerado o sistema operacional dos “nerds”. Porém esse cenário mudou e atualmente existem distribuições com interfaces não somente belas bem como de fácil entendimento e adoção. Como boas opções temos os ambientes gráficos do Gnome, KDE, Cinnamon, MATE, XFCE entre outras. Vale a pena a pesquisa para identificar qual se adapta melhor ao que você espera.

Além disso um outro fator impeditivo quanto a adoção acabam sendo os aplicativos, que muitas das vezes tem para Windows e não tem para Linux, como o pacote Office, o editor Photoshop ou o Autocad. Sim, existem alternativas e muito boas, mas muitas das vezes esse conhecimento não chega ao usuário final. Também existem técnicas para emulação de aplicativos de Windows no Linux, que obviamente exige um nível técnico de conhecimento. A questão é que a falta de orientação é latente.

Nos anos 2000, o governo brasileiro incentivou a utilização do sistema através de isenções de impostos na venda de computadores com Linux pré-instalado com valores bem abaixo dos que vinham com Windows. A estratégia acabou não dando certo pois não houve uma campanha efetiva de conscientização, somadas à falta de conhecimento por parte dos usuários finais e uma distribuição Linux mal escolhida. O que aconteceu? Aa pessoas compravam o computador com Linux barato e chamava um técnico para formatar e instalar o Windows, muitas das vezes pirata. Dessa forma o sistema acabou sempre permeando entre profissionais de TI, Engenharia e entusiastas.

Porém o sistema evoluiu de tal forma que hoje podemos encontrar Linux não somente em computadores e notebooks, mas também em outros dispositivos como televisões, carros, videogames, relógios e até mesmo telefones. Sim, o sistema Android, desenvolvido pela Google é baseado no núcleo Linux. Em resumo, atualmente temos o sistema Linux em todos os lugares. Grandes empresas como a própria Microsoft, Google, Twitter, Facebook, IBM, Amazon, MC Donalds e infinitas outras utilizam Linux em seus servidores e ambientes devido a robustez, segurança e estabilidade.

O Linux é utilizado em sistemas de missão crítica como controle de aviões, de trânsito, de armas militares, sistemas de telecomunicações e televisão, renderização de filmes apenas para citar alguns exemplos relevantes e pode também estar instalado no seu computador!

O assunto é bem extenso e falaremos mais em breve sobre mais aspectos quanto à utilização do sistema Linux.

Até o próximo domingo!

*O conteúdo desta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.

Relacionadas »
Comentários »