15/08/2019 às 10h00min - Atualizada em 15/08/2019 às 10h00min

Brasil beco sem saída

JOÃO BATISTA
“As elites de Uberlândia, com demais setores sociais têm a oportunidade de pensar o Brasil para o futuro próximo se dialogar com Alan de Carvalho Bernardes que oferece uma agenda de soluções para os problemas brasileiros com seu livro: ‘Revolução Legal’”
 
75 milhões de brasileiros submetidos aos sofrimentos mais variados e constantes, resultantes das decisões políticas, intencionalmente planejadas e executadas por nossas elites econômicas, sociais e políticas. A soma dos desempregados, subempregados e desalentados chega a 25,1 milhões de pessoas, somando-se dois familiares são um terço da população do Brasil em penúria existencial por vontade política dessas elites que capturaram o Estado para seus interesses privados, excretando esses banidos das riquezas socialmente produzidas no Brasil. Deus só podia ser brasileiro: onde existiriam tantas filhas/os implorando salvação desses predadores/parasitas de recursos públicos, com empreendedorismo eficiente?

Estado brasileiro não oferece proteção constitucional para a maioria dos brasileiros. Presidência da República Federativa do Brasil é explicitamente anti-constituição de 1988, com legitimidade popular. Jair Messias Bolsonaro foi eleito com 39% do eleitorado total. Os brasileiros, em sua maioria, são sem-tudo, os sem-Brasil e os sem-pátria, vivendo numa organização social paralela lutando por sobrevivência. Não há ascensão social possível. Mobilidade social é iguaria para as elites social, econômica e política. É o capitalismo rentista sem democracia econômica e social. Liberdade política das elites: criar todo tipo de desigualdades, pobreza e miséria como projeto nacional abençoado por Deus evangélico: inferno como dádiva de salvação para a maioria dos brasileiros: só morrendo para ter o que essas elites já têm por muitas gerações por graça divina. “Ordem e Progresso” para os brasileiros só na Bandeira. Os “Donos do Poder” econômico, social e político pisoteiam quaisquer sementes do futuro glorioso para a maioria dos brasileiros. Ações e omissões desse capitão-presidente não levam em conta o “Brasil para todos” com sua extensão territorial, população e tamanho de sua economia. Não demonstra capacidade governativa para enfrentamento sistemático e eficiente dos problemas estruturais do Brasil. Existência presidencial é para criar problemas inúteis para si mesmo, sem dar atenção suficiente ao irrisório crescimento econômico, desigualdade de oportunidades, famílias de baixa renda sucumbidas pelo desemprego, deterioração crescente da saúde, educação e meio ambiente e baixo investimento público-privado em infraestrutura.

Presidência Bolsonaro não separa interesse público de interesse privado em sua governança familiar, cuidando fundamentalmente dos interesses de seus três filhos e mais de uma centena de parentes com cargos públicos, com empresários e mercado financeiro em segundo lugar em suas prioridades. No resto tempo se diverte provocando minorias, fazendo piadas de mau gosto com nordestinos, negros e gays. Quem lhe é servil nessa governação surrealista passa por testes constantes e são aniquilados ao seu capricho os que não são aprovados por esse capitão-presidente. Vinganças contra OAB e imprensa completam seu cardápio de absurdos presidenciais, dado que seu modelo de governança é o da ditadura militar.

Não há consenso do que fazer para tirar o Brasil de sua prolongada crise estrutural, até onde minha vista alcança. Permanecemos com crises criando novas crises em todos os setores para a maioria dos brasileiros. Não está à mão do sistema político a organização democrática do Estado concomitante à democratização efetiva da sociedade. O que está disponível no mundo das ideias: cinismo das elites e a utopia da maioria dos brasileiros excluídos das riquezas socialmente produzidas no Brasil. As elites de Uberlândia, com demais setores sociais têm a oportunidade de pensar o Brasil para o futuro próximo se dialogar com Alan de Carvalho Bernardes que oferece uma agenda de soluções para os problemas brasileiros com seu livro: “Revolução Legal”. (Uberlândia: Assis Editora, 2018. [email protected]). Apresenta projetos nacionais factíveis para seu diagnóstico: “O Brasil se encontra numa situação complicada, em quase todas as suas esferas, vive-se um ambiente de total instabilidade, em que o Estado e o governo brasileiro, com todas as suas instituições, encontram-se perdidas e incapazes de dar as respostas no tempo que a sociedade brasileira e todos seus agentes necessitam.” Uberlândia pode oferecer ao Brasil um projeto nacional com diálogos com Alan Bernardes. Santo de casa pode fazer milagres!!! Brasileiros são donos e senhores de seus destinos se forem comandantes das suas ideias para o Brasil!!


*Esta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.
Relacionadas »
Comentários »