04/08/2019 às 09h00min - Atualizada em 04/08/2019 às 09h00min

Alô? Alô! Alô?

WILLIAN H STUTZ
“Vocês duas são doidas ou alienadas? Até parecem um governante, que disse outro dia que ninguém passa fome no Brasil. Vem aqui pro nosso lado! O povo anda comendo até palma e gabiru!”
 
Alô? Alô! Alô?
Mãe? Oi, filha, que bom que você ligou. Eu estava numa saudade danada!
Eu não liguei coisa nenhuma e sem essa de mãe, eu sou muito é macho.
Não entendi, mãe. Deixa prá lá. Ô, estou te ligando para te dar uma notícia maravilhosa!
Filha de Deus, conta, estamos tão carentes de boas novas!
Estou grávida, mãezinha, grávida!!!
Que troço é esse de grávido? Homem não fica grávido, não! Pode parar com esses sorrisinhos. Já disse, macho, com m e “x” maiúsculos! Estão entendendo? Agora sai fora que estou precisando falar urgente com o compadre Ramoldo!
Alô? Alô! Alô!
Que estranho. Você ouviu isso, mãe?
Olha, não sou sua mãe e já estou perdendo a paciência, não tenho o dia inteiro para falar aqui não! Vai lá, chama o compadre ou desliga!
Ouvi um zumbido, filha. Deve ser a chuva que está forte.
Que conversa besta é essa? Aqui não está nem chuviscando.
Mas que notícia maravilhosa, minha filha, vou até fazer novena de agradecimento! Um neto ou neta. Que venha qualquer um, desde que venha abençoado e traga muita alegria para a família.
Ah, não! Aí é demais! Achar bom a estiagem que estamos passando? A senhora sabe que tem três meses que não chove aqui? A lavoura perdeu toda, o gado está morrendo e você achando bom? Não tem água nem pra cozinhar. Banho então, nem pensar, e você a fazer chacota da desgraça dos outros!
Ainda bem que pelo menos vão fazer novena. Precisamos muito de reza. Se bem que desse tipo de reza eu tenho até medo! Do jeito que vocês falam é capaz de São Pedro fechar a torneira com mais força!
Filha, que chiadeira é essa?
Mas me conta mais! Está de quantos meses?
A senhora é surda ou o quê? Três meses. Três meses inteiros sem uma gota d'água!
Ah, mãe! Acho que devo estar com pelo menos dois meses. Estamos tão felizes…
Eu não acredito que possa existir gente tão ruim assim, feliz com a miséria alheia.
E não são dois meses, são três!
Filha, já escolheu o nome? Ainda não, mas achamos que em homenagem a vocês vamos juntar seu nome com o nome da mãe dele. Gostamos de Deusamar. O que você acha, mãe? Ah, filha! Carece não, mas fico orgulhosa até. Mas então, o que a senhora acha de “Valdisnei”? Daquele moço que fez os desenhos animados do Pato Donald, de que tanto você gostava. Lembra dele? É mesmo! Se for menino pode ser e com acento no “e”. “Valdisnêi”, que lindo, mãe!
Vocês estão dando nome é para criação? Bezerro ou leitão? Nome de gente é João, Maria, Zé. Pára com isso!
Ô mãe, parece que tem mesmo alguém aí na nossa conversa! Liga não. Não estou entendendo nada que ele fala. Tem zumbido forte. É, deve ser a chuva ou tem boi na linha!
Boi na rinha? Minha senhora, rinha é de galo, não é de boi não! Boi tem é farra. Uma maldade com os bichos!
A senhora não tem Deus no coração mesmo, né? Primeiro debocha da nossa falta de chuva e agora defende rinha e farra do boi. Tenha dó!
Pois é, filha, tem gente mal-educada que fica ouvindo a conversa dos outros.
Olha, filha, você tem que se alimentar bem. Tem que comer para dois, viu?
Ah, mãe! Quase não tenho fome. Parece que tudo que vejo me embrulha o estômago. Até cheiro de fritura me atrapalha. Azanga tudo!
Vocês duas são doidas ou alienadas? Até parecem um governante, que disse outro dia que ninguém passa fome no Brasil. Vem aqui pro nosso lado! O povo anda comendo até palma e gabiru! Que absurdo! Vocês não podem morar nesse país!
Mãe, você entendeu alguma coisa? Come gabiroba? Que história estranha é essa?
Acho melhor desligar. Depois nos falamos. Com esse outro grosso na linha e falando bobagem está difícil! Catar gabiroba! Onde já se viu uma proposta assim, seu indecente! Isso é jeito de falar com gente de família? Depravado, pústula! Deus castiga!
É isso, filha, me liga depois da chuva!
Beijo. 
Beijo, filha!
Oi, vocês não têm o direito de me deixar falando sozinho! Entraram na minha ligação e agora querem sair assim, sem explicar o conversado!
Alô, alô, alô! Ainda bem que desligaram. Eu ia acabar é apelando!
Povinho reacionário e mal-educado!


*Esta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.
Relacionadas »
Comentários »