27/05/2019 às 10h42min - Atualizada em 27/05/2019 às 10h42min

Colocar ideias no papel e tirá-las de lá

MARIANA SEGALA
Talvez nenhuma ideia desenvolvida no último fim de semana, durante a quinta edição do Startup Weekend em Uberlândia, se transforme efetivamente em uma empresa. Ou talvez alguma delas siga o caminho da Agenda Edu. A história dessa startup de Fortaleza é um retrato típico da cena empreendedora dos tempos atuais. Seus fundadores se conheceram há cinco anos, durante um Startup Weekend.

O evento, realizado no mundo inteiro, desafia os participantes a montar o projeto de um negócio inovador em um fim de semana. Um dos participantes, pai de uma garotinha, chegou com o problema: como aperfeiçoar a comunicação das escolas com os pais dos alunos? Cinquenta e quatro horas mais tarde nascia o embrião de uma agenda escolar digital que hoje é adotada em quase 1.500 instituições de ensino. Histórias como essa podem soar meio “românticas”, e em certa medida são mesmo. Porque não é simples colocar uma empresa de pé, e mantê-la erguida ao longo dos anos. O fato é que no fim de semana passado mais de 100 pessoas, em Uberlândia, tiveram a chance de conhecer um passo a passo para tirar uma ideia da cabeça e colocá-la no papel – exatamente o mesmo que a turma da Agenda Edu aprendeu em 2014. No Startup Weekend daqui, quase 40 projetos foram discutidos e 11 foram escolhidos para serem pensados em conjunto. Estavam lá, nos grupos de desenvolvimento, tanto um moleque de 13 anos, quanto um aposentado de 65. As ideias variaram de uma plataforma de venda de horas de uso de academias de ginástica a um clube de assinatura de livros em que quem doa uma obra ganha descontos na mensalidade. Ao fim do evento, um corpo de jurados elegeu o melhor dos projetos. Ganhou o Kids Care, um aplicativo para colocar em contato pais com crianças pequenas e cuidadores que possam olhar por elas. Uma espécie de “Uber de babás”, para facilitar o entendimento. Daqui, torcerei para que as ideias que foram para o papel saiam dele. Se não agora, mais tarde. Ou se não essas, outras.
 
INTELIGÊNCIA URBANA

A consultoria de telecomunicações Teleco indicou Uberlândia como a cidade com maior oferta de serviços inteligentes – envolvendo aplicações tecnológicas – para os cidadãos. O Relatório de Serviços de Cidades Inteligentes avaliou os 100 maiores municípios do país quanto à existência de 26 itens, como bilhete eletrônico no transporte público, emissão online de boletos de tributos, aplicativos para o pagamento de estacionamento rotativo e prontuário médico eletrônico. Uberlândia possui 14 dos 26 serviços pesquisados. Segundo o levantamento, todas as cidades avaliadas apresentam pelo menos dois itens da lista. No caso de Uberlândia, alguns dados que chamam atenção é o número de prontuários (mais de 1 milhão) e de usuários que emitem boletos de tributos (cerca de 110.000).
 
E O CITIES?

O destaque que Uberlândia recebeu como uma cidade inteligente levantou uma questão no ecossistema de inovação: a quantas anda a agenda do Cities? Realizado em 2017 e 2018, o Congresso Internacional de Tecnologia, Inovação, Empreendedorismo e Sustentabilidade se tornou um dos principais eventos relacionado a essa temática na região. Reuniu cerca de 5.000 participantes nas duas primeiras edições, trazendo palestrantes de alto calibre – muitos dos quais trataram de assuntos envolvendo, justamente, cidades inteligentes. Por ora, não há definição quanto à organização ou data prevista para a próxima edição.
 
SEMANA DE INOVAÇÃO

Terminou ontem a terceira edição da Una InovaWeek, circuito de palestras, oficinas, workshops, seminários, mostras e debates realizado pelo centro universitário Una. O saldo do evento foi grandioso: um total de cerca de 150 atividades ocorreram. Os inscritos para participar ultrapassaram a casa dos 2.000 somando as três noites.
Tags »
Relacionadas »
Comentários »