24/05/2019 às 07h54min - Atualizada em 24/05/2019 às 07h54min

Viajar é bom. Muito bom

CELSO MACHADO
Quando escrevemos com regularidade existem alguns temas que são mais recorrentes. Viajar é um deles.

Adoro viajar, principalmente com a melhor companhia do mundo, minha esposa. Graças a Deus nos entendemos muito bem, os quase 35 anos de casados não deixam dúvidas quanto a isto. E quando estamos viajando esse entendimento se faz sempre presente nos roteiros, programas, na compreensão e cumplicidade do que cada um deseja fazer em determinado momento.

Gosto também de viajar com nossos filhos, meu irmão e cunhada, nossos amigos e com meus companheiros de trabalho. Evidente que, certamente como a grande maioria, gosto demais de conhecer lugares diferentes pelo mundo afora. Voltar algumas vezes àqueles que nos agradaram mais. Essa paixão por viagens não é exclusivamente internacional. Adoro viajar pelo Brasil: capitais, litoral ou interior não importa. O que me agrada é ver ou rever belezas. Conhecer hábitos, costumes e lugares diferentes.

Se me encantam belas paisagens me fascina ainda mais conhecer gente. Encontrar pessoas com as quais passo a ter imediata afinidade e que me provocam aquela agradável sensação de imaginar que desperdício teria sido não conhecê-las. A limitação do domínio de outro idioma, me leva a ser mais frequente em viagens pela minha segunda pátria, Portugal e pelo nosso maravilhoso Brasil.

Principalmente de uns dez anos para cá tenho tido o privilégio de associar viagem com trabalho e por razões profissionais tendo tido a oportunidade de ampliar meu conhecimento sobre as cidades mineiras. Sacramento, Pitangui, Pompeu, Pirapora, Corinto, Curvelo, São João Del Rey, Congonhas, Abadia dos Dourados, Ibiá, Barra do Guaicuy, Morro da Garça, Sabará, Pedro Leopoldo e outras visitei pela primeira vez. E com outro diferencial altamente positivo, conduzido por pessoas locais que mostraram mais do que edificações, relíquias arquitetônicas, belezas geográficas, me apresentaram a identidade, os hábitos, o jeito de ser de cada uma delas.

Com isso, até mesmo nas cidades que já conhecia como Ouro Preto, Frutal, Tiradentes passei a descobrir fascínios que nunca tinha reparado. E que, com toda certeza, nunca perceberia se não tivesse tido esses guias incríveis. Vou além, graças a gente carinhosa passei a ver até nossos distritos como Cruzeiro dos Peixotos, Martinésia, Tapuirama, Miraporanga (Santa Maria) com novo olhar. E ficar cada vez mais apaixonado por eles.

Costumo dizer que viajar é tão bom que o encanto das viagens começa na escolha do destino, nos meios de hospedagem e locomoção. Na definição das companhias e roteiros. A viagem, para quem tem sensibilidade começa muito antes da data da partida. E não termina na chegada, porque continua nas lembranças, recordações, nos novos aprendizados adquiridos.

Por falar nisso, esta semana estou viajando. Na próxima estarei de volta, mas depois viajo novamente. Viajo mas volto, porque o maior prazer de viajar é a alegria de querer voltar. De comprovar e confirmar que não tem lugar melhor no mundo do que o nosso cantinho tão especial e único.

Bom final de semana e boa viagem a todos.


*O conteúdo desta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.
Tags »
Relacionadas »
Comentários »