21/04/2019 às 08h00min - Atualizada em 21/04/2019 às 08h00min

Ovos de Páscoa podem fazer mal para o planeta

ANGELA SENA PRIULI
Sim, eu poderia ter eleito milhares de artigos científicos que demonstraram os benefícios do chocolate para comentar e aliviar sua culpa por estar enfiando o pé "no ovo" nessa data deliciosa e aromática que é a Páscoa.

Mas não! Eu me inspirei em uma viagem recente a Florianópolis, cidade brasileira que me surpreendeu por suas práticas sustentáveis, e também em nome de todos os adolescentes do mundo que saíram às ruas nos últimos meses rogando por cuidados com o Planeta Terra, e resolvi te mostrar o outro lado da moeda dos produtos tão associados aos coelhinhos fofinhos. Então, durma com esse barulho da ciência ambiental: um estudo recente de pesquisadores da Universidade de Manchester, na Inglaterra, publicado na revista Food Research International, analisou a pegada de carbono do chocolate e seus outros impactos ambientais. Isso foi feito avaliando os impactos dos ingredientes, processos de fabricação, embalagem e resíduos.
O estudo estima que a indústria de chocolate do Reino Unido produz cerca de 2,1 milhões de toneladas de gases de efeito estufa (GEE) por ano. Isso equivale às emissões anuais de toda a população de uma cidade do tamanho de Uberaba, aproximadamente. Também descobriu que são necessários cerca de 1.000 litros de água para produzir apenas uma barra de chocolate.

A pesquisadora e diretora de Sistemas Industriais Sustentáveis da Universidade diz: "A maioria de nós ama chocolate, mas muitas vezes não pensa no que é preciso para ir do cacau aos produtos de chocolate que compramos na loja."

No Brasil as quantidades consumidas impressionam: 67% dos consumidores de chocolate (ou seja, quem declara ter consumido o produto nos últimos 7 dias) consomem sete ou mais unidades de chocolate por semana e 23% comem entre três e seis unidades por semana. Entre os "chocólatras", ou seja, aqueles que consomem sete ou mais unidades de chocolate por semana, as mulheres também são maioria (58%), sendo que o tablete puro é quase unanimidade: 90% dos "chocólatras" consomem essa variação do produto.

Os pesquisadores também descobriram que as matérias-primas usadas para produzir o chocolate são o principal problema ambiental, bem como a embalagem. Os impactos dos ingredientes são principalmente devidos ao leite em pó, derivados do cacau, açúcar e óleo de palma. Para fins de curiosidade, de acordo com a Organização Internacional do Cacau, a produção anual de grãos de cacau em 2016 foi nada menos que 4,25 milhões de toneladas. No entanto, não é apenas o cacau - é também o leite em pó usado para fazer chocolates de leite. Sua produção é muito intensiva em energia, e as vacas leiteiras produzem emissões significativas de gases efeito estufa por litro de leite produzido.

Enfim... é verdade que o nosso amor pelo chocolate tem consequências ambientais para o planeta. Mas os pesquisadores também foram claros e não sugeriram que as pessoas deveriam parar de comer. O objetivo deste estudo foi aumentar a conscientização dos consumidores e permitir escolhas mais conscientes e também que esses dados ajudem a indústria de chocolates a atingir seus controles ambientais nas cadeias de fornecimento e tornar os produtos de chocolate tão sustentáveis quanto for possível.

Leitor, saiba mais sobre seu planeta, e para isso, aprenda mais sobre o que você consome no dia a dia. Hoje nós estamos construindo o futuro de nossas crianças, não só ensinando hábitos saudáveis, mas ações sustentáveis! Feliz Páscoa para você e aproveite o tema desse domingão para discutir em família, enquanto degusta um chocolate de sobremesa...
 

Fonte:
Konstantas et al. Environmental impacts of chocolate production and consumption in the UK. Food Research International, 2018; 106: 1012.
https://empreendedor.com.br/noticia/ibope-mapeia-o-consumo-de-chocolate-no-brasil/
Tags »
Relacionadas »
Comentários »