22/02/2019 às 10h56min - Atualizada em 22/02/2019 às 10h56min

Sinestesia, contato e calor humano

DENISE AFONSO
Foto: Divulgação
Feira livre. Um espaço que vai muito além de um simples comércio. É um ambiente de encontros, conversas, articulações, tradição, histórias, vida e muita diversão. É por lá que encontramos casualmente vizinhos, amigos do bairro e gastamos um tempo para trocar ideias e colocar a conversa em dia.

Entre consumidores e vendedores existe uma interação social que muitas vezes se confunde com uma grande amizade. A relação é tão próxima tanta que parecem velhos amigos. E mesmo para aqueles que não têm uma convivência tão próxima, existe um laço de confiança e profissionalismo que torna o processo de venda menos impessoal e técnico.

Para aguçar vontade e estimular nosso paladar os vendedores nos estão sempre prontos para seduzir com pedaços de frutas doces, dão dicas e receitinhas incríveis, nos presenteiam com porções de pimentas e temperos super cheirosos. Soltam a voz informando aos gritos os preços e as promoções. Essa energia já é característica da feira. Olhamos para aqueles produtos cheios de cores vibrantes, aromáticos e dispostos de maneiras criativas e peculiares. Tudo isso cria uma vibração deliciosa de se sentir.

Promoções são anunciadas o tempo inteiro pelos feirantes que falam com firmeza sobre a qualidade de seus produtos e sempre garante, que são mais baratos que os da barraca ao lado. E quando o preço está mais elevado pode-se saber que a qualidade é infinitamente superior. É muito mais vantajoso fazer compras em feiras do que em supermercados. A feira está muito à frente. Os produtos são frescos e muitas vezes vendidos pelos próprios agricultores. Por isso se tornam mais baratos. Aliás, é de extrema importância fortalecermos a classe dos pequenos produtores da nossa região.

Nas bancas você encontra qualidade superior, preços justos, produtos frescos, artesanais e uma excelente relação entre freguês e comerciante. Eles criam uma linguagem única com o seu público para conquistar sua clientela. A concorrência é grande e a pechincha é permitida. Eles nos ajudam a escolher a melhor fruta, a mais madura. Vivenciamos uma troca de conhecimentos entre rural e urbano.

As barracas de pastel e o caldo de cana não podem faltar, é uma tradição de sucesso entre os frequentadores. É corriqueiro os feirantes atenderem os consumidores da banca do vizinho, vender os produtos dos colegas, fazer o troco, e quando percebemos essas atitudes colaborativas nos sentimos bem e muito confiantes.

Andar na feira é divertido, nos esbarramos em situações lúdicas e muito engraçadas. Além disso é uma ótima forma de fugir do sedentarismo. Você vê pessoas de todos os tipos e sem distinção de classe.

As feiras orgânicas e agroecológicas vêm ganhando espaço no mercado. Elas têm conquistado cada vez mais adeptos que se preocupam com a saúde e que querem manter hábitos mais saudáveis. Esses produtos recebem um certificado orgânico que garante a não utilização de produtos químicos nas lavouras.

Agrotóxicos e fertilizantes mostram sua insustentabilidade, tanto por seus efeitos econômicos e sociais quanto pelos efeitos ambientais. Assim, tornou-se notória a crescente expansão da comercialização de produtos orgânicos no mundo todo. Precisamos nos conscientizar que o nosso corpo merece o alimento da forma mais pura possível.

Frequentar feira é algo que está no nosso sangue, uma ótima forma de reforçar nossa cultura. Este canal ainda hoje desempenha um papel fundamental na consolidação econômica e social da agricultura familiar. Um ambiente tradicional com muito calor humano e uma ótima alternativa para estimularmos nossa criatividade culinária!
 
SOPA FRIA DE BATATA DOCE


Por Juliana Ventura | (A)ventura na cozinha
Inspirada na francesa vichyssoise, aprenda receita de sopa fria leve e ótima pedida para os dias de calor

Ingredientes
-1 batata-doce grande descascada
-½ cebola picada
-1 talo de alho-poró fatiado
-2 col. (sopa) de azeite de oliva
-100 ml de leite de coco
-1 litro de água
-2 folhas de louro
-Sal e pimenta-do-reino a gosto
-Cebolinha para decorar
Rendimento: 4 porções
Dificuldade: Fácil

Modo de fazer
1-Aqueça uma panela com o azeite e refogue a cebola e o alho-poró por dois a três minutos
2-Acrescente a batata-doce cortada em cubos
3-Coloque a água e as folhas de louro e cozinhe até que as batatas estejam macias
4-Desligue o fogo, retire as folhas de louro e bata tudo no liquidificador até que a mistura fique com consistência de purê
5-Acerte o sal e a pimenta e deixe esfriar. Depois coloque na geladeira
6-Para servir, coloque 25 ml de leite de coco em cima de cada cumbuca de sopa gelada e decore com cebolinha
Tags »
Relacionadas »
Comentários »