30/11/2018 às 08h48min - Atualizada em 30/11/2018 às 08h48min

Tá certo mas tá errado!

CELSO MACHADO
Pode parecer um contrassenso, mas é algo em que acredito de verdade: não tem ninguém mais errado do que aquele que acha que está certo! O que significa estar certo? Que fizemos a nossa parte e que o outro assuma a culpa e as consequências do seu comportamento diferente do nosso? Estar certo é um salvo-conduto para livrar nossa responsabilidade por não termos conseguido o resultado esperado?

Tenho dúvidas quanto a isso e na minha avaliação não importa se estamos certos ou não do ponto de vista da maioria. Nenhum pai que ama de verdade seu filho fica condicionado a isso, mas sim em fazer de tudo e mais um pouco para que ele siga o caminho do bem. Não enverede por atalhos perigosos. E se mesmo assim o filho não estiver seguindo o caminho adequado, não isenta da sua responsabilidade sob a justificativa cômoda de dizer que fez tudo que podia. Que ele ensinou o caminho certo, o filho é que escolheu o errado.

Quando estou no trânsito lógico que procuro dirigir com toda atenção e cuidado, mas se um veículo vem na contramão procuro ver qual é a alternativa para evitar a colisão. Não insisto nessa de estar certo e o outro que se dane. Até porque nesse caso geralmente não é só o outro que sai perdendo, a gente também. Todos nós conhecemos inúmeras tragédias que ceifaram a vida de quem estava certo.

É uma questão de sobrevivência e também de coerência: quando alguém vem em nossa direção desgovernadamente por uma falha mecânica que o impossibilita de conduzir o veículo da forma correta, quem está certo? Nós que estamos na mão correta ou quem não tem como controlar o seu veículo por um problema alheio à sua vontade?

Pense numa outra situação. Em que você esteja com outra pessoa num barco que está afundando por ter muitos buracos: você os divide por dois e tampa apenas a metade que lhe coube e deixa ele afundar com você junto porque o outro não fez a parte dele ou faz a sua e mais a que for preciso para que o barco continue flutuando? Nessa hora você quer estar certo ou quer sobreviver?

Isso vale também para os relacionamentos. Quando desejamos sinceramente ter e manter uma união estável pouco importa se estamos certos, o que conta é se estamos conseguindo alcançar nosso objetivo de uma convivência saudável e gratificante. Na sociedade igualmente, ajuda e muito fazer a nossa parte. Mas só isso pouco resolve quando o todo exige e precisa de mais.Também porque o conceito de certo ou errado varia muito. Quantas coisas no passado eram certas e hoje são consideradas completamente erradas?

Longe de ser perfeccionista, mas me preocupo muito mais com as consequências do que meu comportamento possa causar do que me dependurar na muleta do “estar certo”. Até porque se tivesse que pagar tudo que já fiz de errado minha dívida seria extraordinária. Como não daria conta, também não me considero no direito de cobrar aquilo que estou em débito. Não se trata de justificativa para cometer erros, apenas evitar de praticar um dos maiores deles, nos isentarmos da responsabilidade por achar que estamos certos...
Relacionadas »
Comentários »