28/11/2018 às 10h48min - Atualizada em 28/11/2018 às 10h48min

'A maldição da residência Hill'

KELSON VENANCIO
Foto: Divulgação
A Maldição da Residência Hill é uma das melhores séries de terror que eu já vi, se não for a melhor. Mas antes de começar a assisti-la, saiba que não se trata de uma produção daquelas que vai te passar sustos a todo momento com criaturas aparecendo do nada a todo instante com barulhos ensurdecedores que surgem em meio ao silêncio, como a maioria dos filmes do gênero fazem para amedrontar o público. Felizmente, neste caso, somos brindados a uma série que vai muito além de um mero terror trash. Temos acima de tudo uma história incrível que nos deixa cada vez mais instigados para chegar até o fim.

A trama gira em torno de uma família que se muda para uma casa amaldiçoada e começa a experimentar eventos sobrenaturais. Décadas depois, os cinco filhos desta família vivem suas respectivas vidas, ainda atormentados pelas memórias aterrorizantes de quando estiveram na casa, quando são forçados a se reunir novamente, após uma tragédia que os faz encarar seus piores medos e arrependimentos.

O roteiro é extremamente bem estruturado e nos primeiros capítulos nos faz conhecer cada personagem através da história vivida por cada um deles, tanto enquanto eram pequenos, quanto na fase adulta. Com isso, a cada episódio o expectador vai ligando uma coisa com a outra e descobrindo os desfechos com a montagem deste quebra-cabeças. A narrativa, em alguns momentos, pode até parecer cansativa já que como disse no início, não se tratar de uma produção que quer apenas te assustar. Mas ela nos atiça a curiosidade a cada minuto assistido e nos deixa totalmente mergulhado na trama.

As interpretações também são excelentes. Todo o elenco, até mesmo das crianças. A química entre os atores é incrível e todos se saem muito bem. Algumas são de tirar o fôlego. A série também é praticamente impecável nos quesitos técnicos como fotografia, cenografia, maquiagem, figurino, trilha sonora, mixagem de som, edição e efeitos especiais. Tudo convence muito o público.

Mas um dos pontos mais fortes da “Maldição da Residência Hill” é sem dúvida a direção de Mike Flanagan que é um cineasta que vem conquistando seu espaço no mundo cinematográfico e que chega ao seu auge (por enquanto) nesta série incrível. O trabalho que ele realiza na série é uma aula de direção, especialmente quando se fala no bom e velho plano sequência. O episódio seis por exemplo é algo impecável. Com aproximadamente uma hora de duração, foi gravado com apenas quatro cortes. As cenas são longas e acompanham apenas a família em uma sala de velório discutindo os problemas. A câmera foca em determinado personagem enquanto ele fala e se movimenta para o próximo que entra na discussão, sendo que os elementos dessa mesma sala mudam muitas vezes durante esses movimentos sem cortes. Fiquei boquiaberto com o que vi!

A série é marcante, tão boa e aprofundada em um terror dramático que confesso que por duas noites acabei tendo pesadelos por causa do que assisti. Apesar de não ser necessária, acredito que com o sucesso enorme da história da residência Hill, a Netflix vai encomendar uma sequência. A gente até torce para isso acontecer, mas que seja pelo menos equivalente a esta.

Nota 9
Relacionadas »
Comentários »