18/07/2018 às 12h00min - Atualizada em 18/07/2018 às 12h00min

Qualidade de Vida = Educação

ANGELA SENA PRIULI | COLUNISTA
Onde você aprendeu sobre lavar as mãos antes de comer? Alguém da sua família...
Quem foi que disse precisa cozinhar bem a carne de porco? Que a professora de biologia...
E onde ouviu dizer dizer que o açafrão é bom para a saúde? O facebook...
Em tempos de baixos investimentos em educação e altos custos da saúde, é VITAL dizer que a ciência diz que para viver mais e melhor, precisamos de EDUCAÇÃO. Confira:

1. Viver por mais tempo
Estudos mostram que um nível mais alto de educação é um forte preditor de longevidade devido a muitos fatores, incluindo maior renda e status social, comportamentos mais saudáveis e melhoria do bem-estar social e psicológico.
Os pesquisadores apontam que não importa somente a renda salarial ou status social, mas principalmente que uma melhor educação leva a uma melhor cognição e, por sua vez, a melhores escolhas para comportamentos relacionados à saúde. Nas últimas décadas, houve uma mudança nos tipos de problemas de saúde que a população enfrenta, diminuindo as doenças infecciosas (rubéola, febre tifóide, poliomielite, etc) e aumentando as doenças crônicas (infarto, diabetes, câncer, etc), sendo estas últimas amplamente relacionadas ao estilo de vida - melhor dizendo: HÁBITOS.
E os estudiosos do tema afirmam que com o passar do tempo, a ligação entre educação e melhores escolhas de saúde e, portanto, expectativa de vida, se tornará ainda mais aparente.

2. Morrer menos
Parece que irei trazer o mesmo dado, mas não é... vou abordar de maneira diferente para te dizer que o saber te leva por diferentes caminhos nessa vida, que pode ser breve ou longa!
Evidências científicas mostram consistentemente uma forte associação entre nível de escolaridade e mortalidade e sugerem que uma parte substancial da associação entre educação e mortalidade é causal, ou seja, a menor a escolaridade de uma população pode CAUSAR sua maior a taxa de mortalidade.

3. Educar melhor
A educação existe não somente nas escolas, mas tem início dentro de casa e é FUNDAMENTAL para alcançar a qualidade de vida. Veja só: níveis mais altos de educação dos pais significam menos problemas de saúde mental para seus filhos adultos.
No entanto, a pesquisa que trouxe a afirmação acima, também revelou que grande parte dessa associação pode ser devido ao fato de que os pais com mais educação tendem a ter filhos com mais educação e com melhores empregos remunerados. O que isto significa é que todo o processo de subir a escada social está enraizada na educação dos pais e é um caminho crucial para a saúde mental das crianças que se tornarão adultos com mais ou menos qualidade de vida.
Para estarmos vivos e bem?...
A gente não quer só comida
A gente quer comida
Diversão e arte e muuuuita educação!

#FICADICA. Leitura diária de jornal faz parte disso!

Fontes:
Wolfgang Lutz, Endale Kebede. Education and Health: Redrawing the Preston Curve. Population and Development Review, 2018
Krueger et al. Mortality Attributable to Low Levels of Education in the United States. PLOS ONE, 2015; 10 (7): e0131809.
Amélie Quesnel-Vallée, Miles Taylor. Socioeconomic Pathways to Depressive Symptoms in Adulthood: Evidence from the National Longitudinal Survey of Youth 1979. Social Science & Medicine, 2011.
Relacionadas »
Comentários »