18/06/2018 às 09h48min - Atualizada em 18/06/2018 às 09h48min

Doenças crônicas: herança genética ou ambiente?

ANGELA SENA PRIULI | COLUNISTA
DIVULGAÇÃO
Costumamos ouvir que se sua família tem câncer ou pressão alta, azar o seu! Você terá grandes chances de ter também. E em parte, isso é um fato comprovado. Por outro lado, pesquisas recentes e de grande porte têm sugerido que a influência de fatores externos aos nossos organismos influencia muito mais do que se imagina. O que precisamos saber sobre isso? Poluição x Doenças Respiratórias e Vasculares No último dia 5 de junho foi celebrado do Dia Mundial do Meio Ambiente e é bem oportuno lembrar que um dos principais problemas para nosso planeta e nossa saúde é a poluição do ar. Uma das principais descobertas de um estudo canadense - com mais de 300 mil participantes - foi que a exposição a níveis mais elevados de material particulado e dióxido de nitrogênio no ar afetou a expressão de genes associados à função respiratória. Isso resultou em maiores taxas de doenças respiratórias, como asma e doença pulmonar obstrutiva crônica. O trabalho também mostrou que viver em regiões mais poluídas impactam mais no comportamento de nossos genes responsáveis pelas doenças, do que propriamente ter simplesmente herdado ou não esses genes “do azar” de nossos pais ou avós. Com relação ao funcionamento de nossa circulação, foi revelado que quanto mais distante fica a residência do local de trabalho ou das principais vias de uma cidade - logo, mais tempo você tem que passar nas ruas e expostos à poluição - maior a prevalência de doenças arteriais periféricas (estreitamento ou obstrução dos vasos sanguíneos arteriais, responsáveis por levar o sangue para nutrir as extremidades como braços e pernas). O importante é dizer que essa doença, que pode conter fator hereditário, pareceu ser estimulada não pela herança genética, mas sim pela modificação de expressão de genes devido à exposição à poluição. Ou seja, receber a herança não é o problema, mas sim o que se faz com ela, entendeu? Estilo de vida x Câncer De acordo com um estudo publicado na conceituada revista Nature, embora vários genes sejam associados ao desenvolvimento de diversos cânceres, os fatores de risco a que estamos submetidos ao longo da vida, como dieta, hábitos, radiação, patógenos etc parecem ser componentes que contribuem em torno de 70-90% para termos ou não um câncer. Vamos aos exemplos: • O câncer colorretal tem alta incidência e é considerado uma doença ambiental, com um risco estimado de 75% ou mais atribuível à dieta; • O câncer de pele do tipo melanoma tem risco de 65- 86% atribuído à exposição ao sol, e para os cânceres de pele basais e escamosos não-melanoma, aproximadamente 90% são atribuíveis à radiação solar; • Pelo menos 75% do câncer de esôfago, ou câncer de cabeça e pescoço, são causados pelo tabaco e pelo álcool; • O vírus HPV pode causar cerca de 90% de casos de câncer do colo do útero, 90% de casos de câncer anal e de 70% de câncer de orofaringe; • Os vírus da hepatite B e C podem ser responsáveis por quase 80% dos casos de carcinoma de fígado; • A bactéria H. pylori pode ser responsável por 65- 80% do câncer gástrico. Estes, juntamente com muitos outros estudos científicos, fornecem evidências diretas de que os fatores ambientais desempenham papéis importantes na incidência de doenças crônicas, como o câncer, e são modificáveis através de mudanças no estilo de vida e/ ou vacinações. Sabe o que senti depois dessa pesquisa? Que definitivamente não podemos jogar toda a culpa de ficarmos doentes em nossas gerações passadas. O que funciona mesmo é sermos autorresponsáveis e cuidarmos ao máximo desse bem precioso que é a vida! Viva a vida e o conhecimento! 
Relacionadas »
Comentários »