21/03/2018 às 11h05min - Atualizada em 21/03/2018 às 11h05min

​'Três anúncios para um crime'

KELSON VENÂNCIO | COLUNISTA

“Três anúncios para um crime” é sem dúvida um dos melhores filmes entre os indicados ao Oscar de 2018. O longa conta a história de uma mãe desesperada interpretada pela excelente atriz Frances McDormand. Ela vive uma mãe chamada Mildred Hayes que teve a filha brutalmente assassinada e o criminoso nunca foi encontrado pela polícia. Após perceber que o caso foi deixado de lado pela autoridade local, ela aluga três outdoors em uma estrada abandonada onde provoca e exige justiça ao xerife Bill Willoughby.

É claro que esta produção tem muitos méritos, mas o maior deles é justamente da ótima Frances McDormand que faz uma das melhores atuações da carreira. A escolha dela para o prêmio de melhor atriz no Oscar deste ano foi muito justa. Até mesmo nos momentos em que ela fica totalmente calada em cena é possível ver o quanto a atriz se aprofundou para mostrar ao público toda a raiva e tristeza de uma mãe que perde uma filha da forma com a personagem perdeu.

O roteiro de certa forma é até simples, mas extremamente bem amarrado deixando muitas partes na imaginação do espectador. Nem mesmo o crime é mostrado para que o público possa imaginar o acontecido apenas através do sofrimento da mãe. A premissa pode ser bem básica, mas é bastante eficaz e serve de base para excelentes atuações, especialmente de Woody Harrelson que mais uma vez trabalha bem sofrendo com as cobranças diretas e públicas da mãe desesperada por justiça. Tem ainda o Sam Rockwell que também rouba as cenas em que aparece interpretando brilhantemente o policial Jason Dixon com seu jeito totalmente desengonçado e irresponsável para depois se redimir no terceiro ato do longa. Os dois foram indicados a melhor ator coadjuvante e Rockwell levou a estatueta para casa.

E o melhor de tudo, o filme tem algo que eu particularmente gosto bastante: um final imprevisível. Esse tipo desfecho sempre me chama muito a atenção em filmes. Adoro quando a produção encerra de um jeito diferente do trivial. No caso deste, foi exatamente do jeito que acontece na vida real. Por mais que muita gente queira um final feliz, muitos casos de estupros e assassinatos acabam daquela forma, sem a descoberta e prisão dos autores dos crimes tão bárbaros. E o melhor, o longa nos deixa ainda uma ponta de dúvida para o espectador ao término do filme.

Nota 9
 
Relacionadas »
Comentários »