07/03/2018 às 09h20min - Atualizada em 07/03/2018 às 09h20min

Pra quem ela se veste?

TÂNIA COSTA | JORNALISTA

Já ouviu a expressão: "Vestida para matar?” Já ouviu alguém dizer que mulher se veste para atrair os olhares masculinos  ou  impressionar os femininos? No mês dedicado a tantas reflexões sobre o universo da mulher, me pego assim, abrindo a porta do guarda-roupas, preparando o look para ir ao trabalho, entre mil pensamentos. Tem cheirinho de café no ar, tem o ponteiro do relógio que segue acelerado alertando que é preciso administrar o tempo até o início da jornada profissional do dia. Mas decido gastar um tempinho ali com este tema em mente, talvez com a inspiração de março e suas reflexões sobre conquistas da mulher. Os itens vestimenta, vaidade, nunca saem de pauta.

Penso que uma grande conquista da mulher na história foi a liberdade sobre o que é ser, e vestir.  Há que se refletir ao longo da história que podem ser difíceis, pra alguns até lentas, mas belas as transformações da mulher.

Busco mentalmente as histórias das mulheres que fazem parte do meu círculo de relacionamento. Tantas jornalistas, donas de casa, empresárias, estudantes. Vejo que aquelas que se vestem para os homens, não são maioria, não.  As que se vestem para outras mulheres e confessam isso, têm posição expressiva. Basta ler um pouco pra saber que o estímulo visual agradável provoca, através de circuitos cerebrais e neurotransmissões, sensações de bem-estar em qualquer pessoa, tanto faz ser homem ou mulher. Há estudos que apontam a mulher  como mais perceptiva a determinados estímulos do que os homens. Tem a velha rivalidade feminina da qual também se fala muito. E não se pode ignorar a capacidade feminina de usar o olhar das outras em busca de aprovação, em busca de ser admirada.

Mas, a mulher que assume o senhorio do seu destino como dona de casa, a que cresce no mercado de trabalho, a profissional que luta por igualdade de direitos, se destaca na criatividade, na contribuição econômica e na política é a mesma que busca e demonstra o tal empoderamento interno. Aquela que sabe que chique é ter sonhos, elegante é se desenvolver. Moderno é ter um olhar verdadeiro sobre si e sobre os outros e isso tudo também combina e muito com ter respeito, até por outras ideias.

Quer saber, penso que cada vez mais mulheres se vestem nem para homens nem para outras mulheres.  Elas amam arrasar no look é para si mesmas.

E este posicionamento penso ser também uma conquista histórica e valiosa.

Mulher precisa se vestir pra matar sim, acima de tudo, a baixa autoestima, o desânimo. Boas doses de autoestima na veia e no coração são importantes em todos os dias do calendário da vida.

Mulher de hoje precisa estar vestida mesmo é de atitude, e seguir acumulando conquistas na própria história e ajudando a escrever a história de muitas no mundo. Pode ser libertador ter em mente que a roupa ideal é aquela que você pode comprar, principalmente, aquela que te faz feliz e não achata em padrões rígidos.  É o look que combina com sorriso, o look perfeito.

O jogar de cabelos, um mover de lábios, demonstram poder de sedução tantas vezes, mas também traduzem força para transformar um destino.

Uma amiga, recém-formada em psicologia me afirmou que é saúde para a alma se sentir bem ao se ver no espelho, ou fazer algo pra mudar. É fundamental agradar um olhar: o próprio. Agora, me diga aí, você está vestida pra matar o que hoje?
Relacionadas »
Comentários »