26/02/2018 às 04h41min - Atualizada em 26/02/2018 às 04h41min

Quaresma: você faz jejum de que?

ADRIANA KARIMI MANISH | COLUNISTA

Estamos na quaresma, período que começou na Quarta-feira de Cinzas e termina no Domingo de Ramos, anterior ao Domingo de Páscoa. Durante os quarenta dias que precedem a Semana Santa e a Páscoa, os cristãos dedicam-se à reflexão, a conversão espiritual e se recolhem em oração e penitência para lembrar os 40 dias passados por Jesus no deserto e os sofrimentos que ele suportou na cruz.

Nessa época, alguns fazem abstenção de carne vermelha durante todo o período ou somente nas sextas, outros deixam de beber ou comer chocolate. Enfim, cada um vive esse período de uma forma.

Porém, algo nessa época que é unânime é um acréscimo no consumo do peixe.

O peixe é um alimento nutritivo e deve ser consumido não só na quaresma mas, pelo menos, duas vezes por semana, intercalando com outros tipos de carnes. Mas, apesar da grande extensão do litoral brasileiro, a ingestão de peixes no Brasil diariamente ainda é muito pequena.

Na nossa cidade, a maioria das pessoas costuma comprar peixe em supermercados, e pela praticidade, acaba por optar pelo produto congelado. Já em cidades litorâneas e em regiões com tradição no consumo de pescados, como a Amazônia, a compra é feita diretamente dos produtores e pescadores ou em peixarias, pela facilidade de acesso.  Mas, afinal, para o consumidor, existe diferença entre o peixe fresco e o congelado?

O fresco é aquele que nuca foi congelado e é conservado apenas no gelo. O congelado industrialmente é submetido à temperatura inferior a -25°C e depois mantido em temperatura inferior a -15°C.

Não restam dúvidas de que o peixe fresco tem um sabor muito mais intenso que o congelado e, além disso, apresenta uma carne mais tenra e firme quando comparado à carne do peixe congelado, mas em relação ao aspecto e ao valor nutricional, não há diferenças significativas entre eles.

O peixe é um dos alimentos mais saudáveis para o consumo humano, mas alguns cuidados precisam ser observados para que essas propriedades nutricionais tão ricas possam ser aproveitadas.

Em seu estado natural o peixe é rico em água, ficando mais suscetível à contaminação. Dessa forma, é imprescindível que o local de conservação esteja limpo e em condições adequadas para impedir a proliferação de bactérias. Nesse caso, o preparo deve ocorrer nas 24 horas seguintes a partir da data da compra.

Já o risco com relação à carne congelada diz respeito ao processo de descongelamento: o peixe deve ficar sob refrigeração (na geladeira) durante o processo de descongelamento, nunca em temperatura ambiente, para evitar contaminação e manter a qualidade sensorial do alimento, salientando que o peixe deve ser preparado imediatamente após o descongelamento.

Para manter o hábito e facilitar a escolha, algumas dicas na hora de comprar :

- Quando fresco, ele deve apresentar odor característico (cheiro de maresia), pele firme e escamas agarradas e brilhantes, olhos brilhantes e salientes, e brânquias úmidas e brilhantes, com coloração entre tons cor de rosa e vermelho intenso;

- Se escolher o peixe congelado, o consumidor deve estar atento às características da embalagem, que devem estar bem fechadas e com bom aspecto de conservação. A carne não deve estar amolecida ou com acúmulo de líquidos na embalagem, além disso, não deve apresentar extremidades secas ou amareladas, pois indicam sinais de desidratação;

- Outra dica é deixar sempre o pescado, fresco ou congelado, para o final das compras, o que facilita sua conservação e mantém a qualidade do alimento;
 
Sabendo que mesmo com as peculiaridades dos peixes frescos e congelados não há restrição alguma quanto ao consumo de ambos, basta optar pela espécie a ser apreciada e preparar uma deliciosa receita

É fato!  Não importa que alimento irá se abster na quaresma, termino a coluna dessa semana com uma frase do Padre Fabio de Melo: “Troque sua quaresma sem doce, refrigerante ou pão, por uma quaresma sem fofoca, maldade ou egoísmo!!! Para Deus e para o mundo não faz diferença se você fica 40 dias sem tomar coca-cola se você continua a ser o reflexo do inferno na vida dos outros”.
Relacionadas »
Comentários »