05/02/2018 às 05h02min - Atualizada em 05/02/2018 às 05h02min

Parece chato, mas não é

ALEXANDRE HENRY ALVES | COLUNISTA

“Listar por escrito as tarefas diárias ajuda a cumprir prazos no trabalho” foi o título de um texto muito interessante publicado nesta semana na Folha de S. Paulo. Entre outras passagens, constou: “Elencar as tarefas no papel, no celular ou no computador é essencial. ‘Não existe planejamento sem escrever. Quem gerencia o tempo na cabeça está errado’, diz o especialista em produtividade Christian Barbosa”.

Eu anoto praticamente tudo o que eu tenho que fazer em uma agenda eletrônica, no celular. Aliás, apenas abrindo parênteses, eu anoto praticamente tudo o que eu gastei desde que fui sócio de uma empresa que praticamente faliu há quase vinte anos. Desde então, passei não só a anotar meus gastos, mas também a manter uma planilha de planejamento financeiro anual, o que é bem fácil porque tenho remuneração fixa. Fecho os parênteses por agora sobre essa parte financeira.

Voltando à questão das atividades, é muito chato se esquecer de fazer alguma coisa. Mais chato do que isso é ficar tentando se lembrar do que você tem que fazer. Entra então a primeira vantagem de anotar os compromissos e atividades, que é a de ter que se lembrar apenas de olhar a agenda. Só isso. O que eu tenho para fazer na segunda-feira? Sei lá. Aliás, nem quero saber. Hoje é domingo ainda e, se eu não anotei nada para hoje, é porque eu não tenho que me preocupar com o dia de amanhã. Se eu tivesse que começar a preparar uma atividade de segunda-feira ainda no domingo, eu teria anotado na agenda de domingo. Percebe o quanto é libertador?

Mas não fica por aí. Outra vantagem óbvia, como dito, é não se esquecer das tarefas e dos compromissos. Pode marcar comigo uma reunião para daqui a cinco meses. Eu estarei lá no horário combinado, mesmo que você não me lembre, porque a agenda vai me lembrar. Tarefas chatas e rotineiras também ficam mais tranquilas com a anotação delas previamente. Não digo que ficam mais agradáveis, pois uma agenda não faz esse milagre, infelizmente. Mas, se eu tenho que pagar a escola da minha filha todo dia 5, anotar essa tarefa vai me deixar sossegado, sem medo de esquecer o pagamento.

Tem outra coisa: a satisfação de ver uma tarefa cumprida. É muito bom quando você vai lá na agenda e marca como finalizada uma atividade que você tinha que fazer. Parece besteira, mas não é. Tem algum efeito psicológico aí que faz a gente se sentir mais produtivo quando você marca na agenda que concluiu uma tarefa. Quando marca todas do dia, melhor ainda! Você consegue se dedicar a outras atividades, inclusive de lazer, com a cabeça bem sossegada, na certeza de que você já fez as suas obrigações.

Volto ao planejamento financeiro, pois a ideia é a mesma. Depois do tombo que eu tomei financeiramente na virada do milênio, não quero nunca mais deixar de ter noção do que gasto, do que ganho e do que terei nos próximos meses. Anotar os gastos ajuda, em primeiro lugar, a saber qual é a evolução deles e o que está sendo exagerado no seu orçamento. Afinal de contas, se você não sabe nem onde gasta seu dinheiro, isso significa que a sua chance de sair dos trilhos é gigantesca. E nem venha me dizer que você sabe tudo de cabeça, pois não sabe: é na soma das pequenas despesas que a vaca vai para o brejo. Anotar tudo, portanto, evita que você deixe o bovino se atolar.

Para além de anotar as despesas, é preciso planejar o futuro. Não me mato com isso, mas coloco em uma planilha simples a minha previsão mensal de renda e a previsão mensal de despesas para o ano, sendo que as despesas são previstas com base no meu histórico de gastos e em algum plano especial, sem contar a previsão para imprevistos. Esse planejamento pode não se concretizar? É óbvio. Mas, já dá uma boa segurança. Mais do que isso, se você já sabe quanto vai ganhar, como é o meu caso, você tem uma noção exata do que não vai dar para gastar, já que o dinheiro não se multiplica sozinho, ao menos no mundo dos honestos. Aí, você acaba entendendo direitinho a máxima de que é preciso economizar de um lado para poder gastar um pouco mais do outro.

Enfim, agendas e planilhas financeiras podem parecer coisas quadradas, chatas, de gente que não sabe viver a vida e fica só se preocupando com as obrigações do cotidiano. Mas, quando você passa a usar uma agenda de forma efetiva e a planejar sua vida financeira, você percebe que isso liberta, permite que você se preocupe com outras coisas muito mais importantes do que uma tarefa de amanhã ou a conta do mês seguinte.
Relacionadas »
Comentários »