20/11/2017 às 05h33min - Atualizada em 20/11/2017 às 05h33min

Nutrindo a melhor idade

ADRIANA KARIMI MANISH | COLUNISTA

Você descobre que já é adulto quando vibra com utensílios domésticos, com aquelas panelas que não precisam de óleo e não grudam, e ainda por poder fazer fritura em uma Air-Fryer. Agora, quando você começa a se preocupar com horário para dormir, já prefere ficar em casa do que sair e festas com aglomerações de pessoas já te perturbam, você chega à conclusão que eu cheguei essa semana: Oh, meu Deus, estou chegando na 3ª idade!

Com o avanço da idade, os cuidados alimentares devem ser primordiais. A boa alimentação é um dos fatores principais para manter a saúde e chegar de forma positiva na terceira idade. Mas, ao chegar a essa fase da vida, os cuidados devem dobrar, pois os riscos de desenvolver complicações de saúde aumentam. Confira algumas dicas essenciais que irão proporcionar diversos benefícios:

 

1. Tenha horários de rotina para comer e tente segui-los (café da manhã, almoço, café da tarde e jantar) e, caso necessite de mais, faça outras refeições nos intervalos com alimentos de qualidade;

2.  Escolha um lugar agradável para se alimentar. Ambientes limpos, tranquilos e arejados conferem maior conforto, segurança e autonomia;

3.  Desfrute de companhia em suas refeições. A presença de familiares, amigos ou vizinhos na hora das refeições proporciona mais prazer e favorece o apetite;

4.  Prefira os alimentos na sua forma mais natural. Diminua o consumo de alimentos ultraprocessados (como biscoitos recheados, guloseimas, ‘salgadinhos’, sopa e macarrão ‘instantâneo’, ‘tempero pronto’, embutidos etc);

 5. Coma devagar e mastigue bem os alimentos. Deguste como se estivesse descobrindo os alimentos pela primeira vez, sinta os diferentes sabores e coma na velocidade mais confortável;

6.  Inclua frutas, legumes e verduras na sua alimentação. Além de ricos em vitaminas, minerais e fibras, o consumo desses alimentos diminui o risco de várias doenças e auxiliam a função intestinal;

7.  Não tome líquidos junto às refeições. A digestão com o tempo vai ficando mais difícil. Há casos que alguns idosos desenvolvem refluxos. Os intestinos perdem força muscular, o que resulta em mobilidade retardada levando a constipação. Inflamação do estômago, crescimento bacteriano anormal e grande redução do débito de ácido prejudicam a digestão e absorção. As dores podem causar recusa de alimentos ou ingestão reduzida;

8.  Óleos, gorduras, açúcar e sal com moderação. Diminua o açúcar e o sal em excesso, substituindo os por temperos naturais (como frutas, cheiro verde, alho, cebola, manjericão, orégano, coentro, alecrim, entre outros);

9. Atente-se a temperatura dos alimentos. Alimentos muito quentes ou muito frios devem ser evitados devido à sensibilidade térmica. Alimentos para ser consumidos frios devem ser retirados da geladeira um pouco antes do momento do consumo. E os quentes, devem estar em temperatura suportável, sem excessos;

10.  Cozinhe e invista na sua alimentação saudável;

11.  Beba água. É a melhor hidratação para seu corpo. Diminua bebidas açucaradas (como refrigerantes e sucos industrializados) e alcoólicas. Aromatizar a água com hortelã ou frutas, como rodelas e cascas de laranja ou limão, é uma boa pedida!

12. Cuidado com a suplementação. Vitaminas (como Vit. C, B12, E), minerais como cálcio e outros, devem ser prescritos e acompanhados pela nutricionista;

Relacionadas »
Comentários »